Weintraub: “Prefiro ser tratado por médicos brasileiros a cubanos”

O ministro da Educação defendeu a participação dos profissionais brasileiros e a revalidação do diploma daqueles que estudaram no exterior

Andre Borges/Especial para o MetrópolesAndre Borges/Especial para o Metrópoles

atualizado 03/09/2019 17:48

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse, nesta terça-feira (03/09/2019), que prefere ser atendido por médicos brasileiros em vez de profissionais cubanos.

“Prefiro ser atendido por médicos brasileiros no país. Até hoje nunca visitei Cuba por uma razão: para não dar dinheiro para um ditador. Enquanto o povo cubano não for livre, não piso em Cuba”, completou.

Na comissão mista que analisa a Medida Provisória (MP) nº 890/19, que trata do programa Médicos pelo Brasil, Weintraub defendeu a participação dos profissionais brasileiros e a revalidação do diploma daqueles que estudaram no exterior.

O Médicos pelo Brasil é uma substituição do programa Mais Médicos que foi proposta pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Técnicos do Ministério da Educação (MEC) afirmaram que não haverá migração de um programa para o outro.

Para participar do Médicos pelo Brasil, o profissional deve fazer uma prova. Segundo a pasta, os dois programas vão coexistir até que todos os profissionais abram mão do Mais Médicos e fiquem apenas na nova iniciativa.

Últimas notícias