metropoles.com

Sheik dos Bitcoins: Safadão briga na Justiça por aeronave de R$ 37 mi

Cantor alega ser vítima do golpista e diz que recebeu uma aeronave como garantia de pagamento pelo investimento na empresa de Fracisley

atualizado

Compartilhar notícia

Reprodução / Instagram
Wesley Safadão, cantor brasileiro. Ele tem cabelos curtos e pretos e pele clara - Metrópoles
1 de 1 Wesley Safadão, cantor brasileiro. Ele tem cabelos curtos e pretos e pele clara - Metrópoles - Foto: Reprodução / Instagram

O cantor Wesley Safadão está envolvido em uma briga na Justiça com Francisley Valdevino da Silva, mais conhecido como Sheik dos Bitcoins. A voz de Camarote alega ser vítima do golpista e diz que recebeu uma aeronave de R$ 37 milhões como garantia de pagamento pelo investimento na empresa de Fracisley.

O Sheik das Bitcoins é apontado pela Polícia Federal como líder de um esquema que movimentou cerca de R$ 4 bilhões no Brasil, por meio de fraudes em pirâmides financeiras com comercialização de criptomoedas.

0

Segundo o portal G1, endereços ligados a Francisley foram alvo de uma operação da Polícia Federal, com envolvimento da Interpol, que indicou que o Sheik das Bitcoins atuava no Brasil e em outros 11 países.

Nos endereços, a polícia apreendeu barras de ouro, carros e relógios de luxo. Ainda segundo a reportagem, após o golpe, as vítimas do golpista acionaram a Justiça para bloquear os bens do golpista como garantia de pagamento. Neste meio, está a aeronave, operada pela empresa de Wesley Safadão.

Defesa de Safadão

A defesa do cantor aponta que o cantor fez investimentos com Francisley e, sem receber, conseguiu o avião como garantia. Na Agência Nacional de Aviação (Anac), a aeronave está em nome da ITX ADMINISTRADORA DE BENS LTDA, empresa de Francisley, mas tem como operadora a empresa WS SHOWS LTDA, de Safadão.

A defesa do cantor ainda alega que o cantor tentou entrar com processo de transferência da aeronave para o seu nome na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas o processo não teria sido concluído.

Por meio do Poder Judiciário, o cantor conseguiu suspender a apreensão do bem, mas de forma liminar.

Ao Metrópoles, a assessoria do cantor afirmou que Safadão “é vítima, assim como os demais que acreditaram nas promessas e investiram valores”. “Mas ele também é credor como os demais”, completa.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comNotícias Gerais

Você quer ficar por dentro das notícias mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações