Maíra Cardi é condenada a 9 meses de detenção após xingar médico

Sentença vem logo após anúncio da separação de Arthur Aguiar. Justiça autoriza que Maíra substitua a detenção por indenização de R$ 24 mil

atualizado 07/10/2022 10:06

Maíra Cardi Reprodução

Maíra Cardi se envolveu em uma nova polêmica, logo após anunciar o término de seu casamento com Arthur Aguiar, campeão do BBB21. A coach de emagrecimento foi condenada 9 meses de detenção em ação movida pelo médico paraibano Bruno Cosme pelo crime de  difamação. A informação foi divulgada por Bruno nas redes sociais nesta quinta-feira (6/10) e confirmada pelo Metrópoles junto aos advogados do médico.

“Acabo de receber a notícia de que ganhamos o processo contra Maíra Cardi. Ela foi condenada na esfera criminal pelo crime de difamação contra mim, tendo sido imputada uma pena de 9 meses de detenção. Essa foi uma importante decisão que mostra que nós, profissionais de saúde, não devemos nos abster de alertar à população dos males que orientações leigas podem trazer para a saúde das pessoas. Agradeço meus advogados pela condução excepcional do processo”, escreveu Bruno no Instagram.

Na sentença, a Justiça autoriza que Maíra substitua a detenção por uma indenização de R$ 24.240,00 em favor do médico. Além disso, ela deverá pagar uma multa de 30 salários mínimos. Ainda cabe recurso da decisão.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Entenda

O processo aconteceu após Maíra realizar uma live com o nutricionista Eduardo Corassa sobre jejum. A estratégia defendida por Maíra e pelo nutrólogo foi bastante criticada nas redes sociais, inclusive por Bruno.

Ao saber das críticas do médico, Maíra se revoltou. “Um doutor de merda, chamado Bruno alguma coisa, falando mal do jejum e falando merda ainda. Ô fulano, você tem que se aprofundar melhor. A gente fez uma live de uma hora e meia com um profissional que estuda de verdade, não é igual a você que fica aí sentado atrás querendo caçar likes e não estuda cacete nenhum”, escreveu a ex de Arthur.

O Metrópoles tentou contato com Maíra por e-mail, mas não obteve retorno até a publicação da matéria. O espaço segue aberto.

Mais lidas
Últimas notícias