Após briga judicial com Wesley Safadão, Mileide Mihaile se manifesta

Safadão e a ex-mulher brigaram nessa segunda (4) por conta do filho Yhudy

ReproduçãoReprodução

atualizado 05/02/2019 13:47

Após briga na Justiça com o cantor e ex Wesley Safadão por conta do filho Yhudy, Mileide Mihaile divulgou nota a imprensa sobre o ocorrido nesta terça-feira (5/2). A treta começou quando o cantor acionou as autoridades para enfrentar a influenciadora, que não permitiu que Yhudy fosse a festa de aniversário de Neymar em Paris, nessa segunda-feira (4).

Em nota, Mileide diz: “Nos últimos dias vivi momentos de terror, tendo que dar conta dos meus compromissos sorrindo, enquanto meu coração sangrava. Parece texto de uma série de terror, mas infelizmente não é. Trata-se de um assunto muito sério que envolve traição, descaso, alienação parental, perseguição”.

Em seguida, ela explicou o caso: “Colocaram meu filho para me ligar avisando e pedindo incansavelmente para fazer uma viagem a Paris para o aniversário do jogador Neymar. Como pode levar um assunto desses a uma criança de 8 anos antes de consultar a mãe? Disse ao meu filho que conversaríamos pessoalmente e foi pessoalmente que percebi que ele não estava fazendo tanta questão como foi dito que era o sonho dele”.

“Sem falar que as aulas acabaram de voltar e, mais, o pai dele estaria no dia da viagem a Paris, fazendo show, não viajaria junto com a criança. Ele iria na companhia da madrasta. Mais um motivo pra eu não ver sentido algum, sem falar que o programa alegado, nada tem a ver com uma criança, a festa de um jogador de futebol cujo tema é cabaré, lugar pra adulto”, justificou a mãe.

Ela ainda declarou que foi abordada de maneira “traiçoeira”: “Fui surpreendia ao encontrar o Watila, irmão do Wesley, em uma loja que me abordou de forma traiçoeira, 10 minutos depois o motorista do Wesley estava na porta da loja me coagindo, nos causando — a mim e ao meu filho — constrangimento e medo, e com uma intimação assinada pra que levasse meu filho a força pra viajar. Tenho os vídeos e cartas do gerente e da vendedora da loja, descrevendo o ocorrido e já foram encaminhados a justiça.

“Não levaram não pelo meu não, e sim porque meu filho chorando disse que não ia! De modo que eu espero sinceramente que parem de me perseguir, parem de prejudicar o psicológico do meu filho. Ele é uma criança e não merece tudo isso”, pediu Mileide.

A mãe de Yhudi também relatou que queria estar com o filho no período do Carnaval, mas Safadão não autorizou a demanda e ela o acatou. “Peço encarecidamente por tudo que há de mais sagrado, que me deem paz de espírito para que eu possa viver minha vida e criar meu filho com harmonia e dentro da normalidade que uma criança precisa e merece ser criada”, disse.

Últimas notícias