Wassef consegue liberar na Justiça madeira retida na gestão de Salles

O também advogado do presidente Jair Bolsonaro (PL) conseguiu liminar no TRF-1 representando a MDP Transportes

atualizado 20/01/2022 19:14

Divulgação/Polícia Federal

O Tribunal Federal Regional da 1ª Região (TRF-1) liberou a restituição de madeira apreendida pela Operação Handroanthus GLO, da Polícia Federal. O material foi confiscado na gestão do ex-ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, na divisa entre Pará e Amazonas. Essa foi a maior apreensão de madeira nativa ilegal da história do país: foram 131,1 mil metros cúbicos.

A ação confiscou madeira suficiente para a construção de 2.620 casas populares e teve atuação do Ministério Público Federal.

O desembargador Ney Bello, do TRF-1, no entanto, concedeu liminar (provisória) para restituir material recolhido na ação policial a uma das empresas investigadas.

O pedido foi impetrado por Frederick Wassef, também advogado do presidente Jair Bolsonaro (PL). Nesse caso, Wassef representa a MDP Transportes.

A operação

O título da operação faz referência ao nome científico do Ipê, planta que costuma ser vendida ilegalmente na Região Norte do país, e à Garantia da Lei e da Ordem (GLO), legislação que autoriza a atuação das Forças Armadas no combate a crimes ambientais.

Ricardo Salles entrou no caso com a justificativa de mediar o conflito na região. No entanto, acabou virando alvo de notícia-crime da Polícia Federal por tentativa de atrapalhar as apurações em andamento.

Mais lidas
Últimas notícias