Vítima da Covid-19, médico ficou quase um mês internado: “Lutou até o fim”

Gillian Vitor Reis trabalhava em uma UTI para vítimas do coronavírus; ele teve um quadro de pneumonia e precisou ser intubado

atualizado 20/01/2021 16:34

Gillian Vitor ReisReprodução/ Facebook

O médico Gillian Vitor Reis, que morreu aos 28 anos vítima do novo coronavírus em São José do Rio Preto (SP), ficou internado por quase um mês em um hospital da cidade até não resistir às complicações que a doença causou nos pulmões, segundo declarou a irmã dele Giovana Reis.

Giovana contou que o médico deixou de apresentar melhora após um quadro de pneumonia e precisou ser intubado. “Teve pneumonia e, de lá para cá, não teve melhora. Ele lutou até o final para não precisar ir para a UTI e ser intubado, pois sabia de todos os procedimentos que passaria. Mas não teve jeito, os pulmões não respondiam ao tratamento”, disse ao portal G1.

“Desde o começo da pandemia, ele trabalhava na UTI [unidade de terapia intensiva] da Covid. No começo, acho que todos ficaram com medo do desconhecido, mas ele sempre dizia que, se ele como médico não enfrentasse, quem iria?”, afirma.

Segundo a irmã, em 18 de dezembro, Gillian fez uma tomografia após sentir falta de ar e constatou que os pulmões estavam comprometidos. Em seguida, foi internado.

“Foi um susto. Aliás, está sendo. Ele era muito querido por todos. O apelido dele era ‘doutor anjo’. Recebi muitas mensagens e orações de pessoas que nunca vi na vida e de outros lugares durante os 25 dias internado até o falecimento dele”, disse.

Últimas notícias