Violações de direitos humanos e pobreza aumentaram no Brasil em 2020

A escalada foi acentuada, segundo relatório da Anistia Internacional, pela má condução do enfrentamento da pandemia de Covid-19

atualizado 07/04/2021 11:25

Hugo Barreto/Metrópoles

Relatório da Anistia Internacional mostra que em 2020 as violações de direitos humanos e a pobreza aumentaram no país. A escalada foi acentuada pela má condução do enfrentamento da pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Divulgado nesta quarta-feira (7/4), o documento aponta que a crise na saúde aumentou a desigualdade social estrutural e sistêmica no Brasil. Cerca de 27 milhões de pessoas passaram a viver na extrema pobreza, com menos de R$ 246 ao mês.

“A agenda negacionista do presidente Jair Bolsonaro agravou as consequências da pandemia da Covid-19 sobre a população brasileira, sobretudo nas comunidades mais empobrecidas e historicamente discriminadas”, destaca trecho do relatório.

Segundo a Anistia Internacional, ONGs, jornalistas, ativistas, defensores e defensoras de direitos humanos e movimentos sociais foram perseguidos e estigmatizados.

Pandemia

O relatório aponta prejuízos para população por conta da falta de coordenação no enfrentamento da pandemia. Para a Anistia Internacional, o governo federal falhou na condução.

“Embora o enfrentamento da pandemia de Covid-19 tenha sido desafiador no mundo inteiro, a epidemia no Brasil foi exacerbada pelas constantes tensões e falta de coordenação entre autoridades federais, estaduais e municipais”, frisa o relatório.

A ausência de um “plano de ação claro e baseado nas melhores informações científicas” disponíveis e a falta de transparência nas políticas públicas são apontadas como os principais problemas.

“No Brasil, a lentidão e a recusa do presidente Jair Bolsonaro em cumprir seu dever de liderar as ações capazes de mitigar os impactos da pandemia e proteger da saúde de brasileiras e brasileiros e falta de coordenação nacional no enfrentamento da Covid-19 levaram o país ao triste índice de milhares de vidas perdidas”, criticou Jurema Werneck, diretora-executiva da Anistia Internacional Brasil.

Veja violações dos direitos humanos apontadas pela Anistia Internacional no Brasil:

  • Direito à saúde
  • Liberdade de expressão
  • Perseguição de defensores de direitos humanos
  • Comprometimento de direitos econômicos e sociais
  • Falta de condições de trabalho para profissionais de saúde
  • Mitigação de direitos dos povos indígenas e de outras comunidades tradicionais
  • Uso excessivo da força
  • Enfraquecimento dos direitos das mulheres e das meninas

Últimas notícias