Universidades desenvolvem mascará que dirá a usuário se ele tem coronavírus

Sempre que a pessoa tossir, espirrar ou respirar, uma luz fluorescente se acenderá, dizem pesquisadores

atualizado 17/05/2020 9:47

Igo Estrela/Metrópoles

Pesquisadores da Universidade Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) estão desenvolvendo uma máscara de proteção que será capaz de detectar se a pessoa está infectada com o novo coronavírus. Sempre que o usuário tossir, espirrar ou respirar, uma luz fluorescente se acenderá.

Para os cientistas, isso poderá ajudar a sanar o problema da falta de testes, recorrente em muitos países, uma vez que os doutores podem colocar a máscara nos pacientes e descobrir rapidamente, sem precisar levar os exames a um laboratório, se eles têm ou não a covid-19.

A tecnologia será adaptada de um teste feito em 2014 pelo MIT, quando cientistas começaram a desenvolver sensores que poderiam detectar o vírus do ebola uma vez congelado em papel.

O laboratório das universidades, em 2018, já era capaz de detectar sars, sarampo, influenza, hepatite C, entre outras doenças, com a ajuda dos sensores.

Leia mais no portal Mais Goiás, parceiro do Metrópoles.

Mais lidas
Últimas notícias