UFRGS revoga títulos de Doutor Honoris Causa a presidentes da ditadura

Generais Artur da Costa e Silva e Emílio Garrastazu Médici comandaram o país entre os anos de 1967 e 1974

atualizado 19/08/2022 23:24

generais Artur da Costa e Silva e Emílio Garrastazu MédiciReprodução

O Conselho Universitário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) aprovou, nesta sexta-feira (19/8), que os títulos de Doutor Honoris Causa concedidos aos ex-presidentes Artur da Costa e Silva e Emílio Garrastazu Médici sejam revogados. Os generais comandaram o país entre 1967 e 1974, durante a ditadura militar brasileira.

A decisão é definitiva e teve 48 votos favoráveis, um contrário e uma abstenção. Não existe a possibilidade de que seja cancelada posteriormente.

“Hoje a UFRGS revoga os títulos concedidos aos ditadores presidentes e essa decisão significa que nesse 2022 não há lugar para homenagens a regimes de força e seus protagonistas”, informou comunicado emitido pelo Vozes da Ditadura, que atua na universidade.

O título foi concedido a Costa e Silva em 1967, primeiro ano de mandato. Assim como Médici, que o recebeu em 1970.

Os Doutores Honoris Causa são, de acordo com o estatuto da UFRGS, “personalidades que se tenham distinguido na vida pública ou na atuação em prol do desenvolvimento da universidade, do progresso das ciências, das letras e das artes”.

Mais lidas
Últimas notícias