TSE deve reunir-se com Telegram nesta 5ª para discutir colaboração

A participação do aplicativo no programa de combate à desinformação foi cobrada em três ocasiões pelo tribunal

atualizado 24/03/2022 8:50

TelegramDivulgação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) marcou uma reunião com representantes do Telegram para esta quinta-feira (24/3) com o intuito de discutir a participação do app no Programa de Enfrentamento à Desinformação, que já engloba diversas redes sociais contra a disseminação das fake news nas eleições de outubro.

Ao Metrópoles, a assessoria do tribunal confirmou a presença da empresa russa no encontro.

O primeiro convite oficial de adesão ao projeto foi enviado pelo TSE no dia 16 dezembro do ano passado. Depois disso, foi reiterado em 9 de março e na última terça-feira (22/3).

No dia 17 de março, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou o bloqueio da rede social no Brasil. A decisão foi resposta a um pedido elaborado pela Polícia Federal, que justificou a demanda ao afirmar que o app é “notoriamente conhecido por sua postura de não cooperar com autoridades judiciais e policiais”.

No domingo (20/3), porém, a decisão foi revogada após a empresa cumprir todas as determinações da Corte, que incluíam a exclusão de conteúdos publicados pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e a nomeação de um representante legal no Brasil.

O Telegram designou Alan Campos Elias Thomaz como representante no país. “Alan tem experiência anterior em funções semelhantes, além de experiência em direito e tecnologia, e acreditamos que ele seria uma boa opção para essa posição enquanto continuamos construindo e reforçando nossa equipe brasileira. Alan Campos Elias Thomaz tem acesso direto à nossa alta administração, o que garantirá nossa capacidade de responder as solicitações urgentes do Tribunal e de outros órgãos relevantes no Brasil em tempo hábil”, disse a empresa ao STF.

Mais lidas
Últimas notícias