“Todo cearense tem a cabeça grande”, diz Bolsonaro no Guarujá

No litoral paulista, onde passa o Carnaval, presidente brincou com um homem que usava um chapéu de couro típico

atualizado 22/02/2020 18:19

Reprodução/Rede Sociais

Ao visitar uma área comercial no Guarujá, no litoral paulista, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma brincadeira com a origem de um apoiador, que o cercava para tirar uma foto.

Vestindo um chapéu de couro, típico do semiárido nordestino, o homem chamou a atenção presidencial. “O gauchão do Ceará aqui”, afirmou, ao pegar o chapéu ele mesmo e vestir. “Por que todo cearense tem a cabeça grande?”, perguntou, enquanto o homem fazia uma selfie com ele.

O homem riu e cochichou uma resposta no ouvido do presidente, que também sorriu e o abraçou. “O que ele falou eu não posso falar para vocês”, encerrou. Bolsonaro deu uma série de declarações na sequência, como a de que pretende “implodir o Inmetro”.

O presidente viajou sem a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, ao litoral paulista para passar o feriado. Ele está acompanhado da filha, Laura. Segundo o presidente, Michelle se recupera de cirurgia estética que fez no final do ano passado. A previsão do presidente é retornar a Brasília na próxima quinta-feira (27/02/2020).

Também passam o feriado com o presidente na instalação militar do Forte dos Andradas, na praia do Manduba, o deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ), o Hélio Negão, e o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Ambos são amigos de longa data do presidente.

Essa é a terceira vez que Bolsonaro passa um feriado na base militar no litoral paulista desde que foi eleito. Em 2019, ele foi para esse mesmo local na Páscoa, em abril, e na Proclamação da República, em novembro.

Polêmica com japoneses
Em maio do ano passado, o presidente se envolveu em uma polêmica com a comunidade asiática por fazer piadas envolvendo a origem de uma pessoa. Ao posar com um rapaz estrangeiro, de feição oriental, no aeroporto de Manaus, Bolsonaro fez um gesto com os dedos e perguntou: “Tudo pequenininho aí?”.

Depois, ao falar sobre a reforma da Previdência, reeditou a comparação: “Se for uma reforma de japonês, ele [Paulo Guedes, ministro da Economia] vai embora. Lá, tudo é miniatura”, frisou.

Últimas notícias