*
 

O presidente Michel Temer se reúne no Palácio da Alvorada com alguns auxiliares para discutir a situação dos venezuelanos refugiados no Brasil e outras ações de segurança. Estão presentes no encontro os ministros Torquato Jardim (Justiça), Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

Na segunda-feira (12/2), Temer esteve em Boa Vista, Roraima, para traçar ações de apoio ao Estado, que sofre com a chegada de refugiados do país vizinho. O governo estuda editar uma medida provisória ou outro instrumento para formalizar a ajuda à Roraima.

Além disso, segundo fontes, o presidente também teria voltado a discutir a reestruturação do Ministério da Justiça para transformar a área de Segurança Pública em uma outra pasta.

No começo desta semana, o país criou uma força-tarefa para controlar o ingresso de venezuelanos em Roraima, medida anunciada durante visita do presidente a Boa Vista. De acordo com o plano, haverá  aumento de 100 para 200 homens nos pelotões de fronteira no estado, com duplicação dos pontos de controle na fronteira, no interior e entre Pacaraima e Boa Vista.

Além disso, novos centros de triagem serão instalados para ajudar na recepção dos venezuelanos e serão deslocadas motocicletas com equipes volantes para reforçar o atendimento. No âmbito do Ministério da Justiça, 32 homens da Força Nacional que estão em Manaus serão deslocados para Roraima, assim como 8 caminhonetes serão levadas para ajudar no patrulhamento das cidades.

Depois de se encontrar com Temer, a governadora de Roraima, Suely Campos, pediu que o governo federal tome várias medidas a favor do estado e denunciou que o crime organizado se aproveita da vulnerabilidade dos venezuelanos para trazer drogas e armas.

“Existe a conexão com o crime organizado comandado por venezuelanos, entrando na esfera da segurança nacional”, disse após se reunir com o presidente Michel Temer.

Suely entregou um documento com 11 medidas que pretendem minimizar o impacto causado pelo alto número de imigrantes venezuelanos que chegaram a Roraima nos últimos meses. Entre as propostas, estão o aumento de efetivo da Polícia Federal (PF) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), além da atuação do Exército brasileiro no policiamento ostensivo em Pacaraima, cidade que faz fronteira com a Venezuela.

 

 

COMENTE

RefugiadosvenezuelaRoraima
comunicar erro à redação

Leia mais: Brasil