Suzano: ministro da Educação expressa sentimentos às vítimas de ataque

Além disso, Ricardo Vélez Rodríguez afirmou que repudia a manifestação de violência do caso

atualizado 13/03/2019 14:12

Reprodução/Facebook

O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, usou o Twitter para expressar seus sentimentos às vítimas e seu repúdio em relação à violência do ataque ocorrido na escola Professor Raul Brasil, em Suzano (SP), na manhã desta quarta-feira (13/3).

“Recebo com muita tristeza a notícia de que crianças e um funcionário foram brutalmente assassinados na escola Prof. Raul Brasil, em Suzano, SP. Meus sentimentos às famílias. Expresso meu repúdio a essa manifestação de violência. Acompanharei de perto a apuração dos fatos”, escreveu Vélez.

Além disso, o Ministério da Educação divulgou nota oficial após a tragédia. Em poucas linhas, a pasta afirma que “se solidariza com pais, familiares e funcionários da escola neste momento de choque, luto e dor”. Confira o texto completo:

“O ministro da Educação, professor Ricardo Vélez Rodríguez, em nome de toda equipe do MEC, manifesta profundo pesar pelo crime bárbaro ocorrido na Escola Estadual Professor Raul Brasil, no município de Suzano, em São Paulo, nesta quarta-feira, 13. O Ministério se solidariza com pais, familiares e funcionários da escola neste momento de choque, luto e dor.”

Entenda o caso:
Dois atiradores entraram em uma escola na manhã desta quarta-feira (13), na cidade de Suzano, a 50 km de distância de São Paulo, e dispararam contra alunos e funcionários. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, foram atingidas dezenas de pessoas.

As primeiras informações indicavam que os dois atiradores seriam alunos ou ex-alunos da escola, o que ainda não foi confirmado pelas autoridades que apuram o caso.

Morreram, vítimas do ataque, sete crianças, que eram alunos da escola, os dois atiradores e também um funcionário do colégio, cuja identidade ainda não foi revelada. O Corpo de Bombeiros está no local desde a manhã desta quarta-feira (13). No total, 23 pessoas foram encaminhadas a hospitais.

Últimas notícias