SP: “Tirou meu bem mais precioso”, diz mãe de jovem morto em assalto

Mãe de Renan Silva Loureiro, Clarice Silva compartilhou a foto do suspeito nas redes sociais e pediu ajuda: "Denunciem! Quero ele vivo"

atualizado 29/04/2022 16:44

Reprodução/ Redes Sociais

Após a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo identificar Axcel Gabriel de Holanda Peres, de 23 anos, como suspeito de matar Renan Silva Loureiro, com quatro tiros em um assalto na zona sul da cidade, a mãe do jovem de 20 anos foi às redes sociais pedir ajuda nas buscas.

“Denunciem! Quero ele vivo”, diz Clarice Silva, escreveu no Instagram.

“Axcel, você já me tirou meu bem mais precioso: meu filho. Você já está sendo responsável por eu não conseguir rezar pela alma do meu filho, eu engasgo no Pai nosso porque não consigo concluir “… assim como perdoamos quem nos tem ofendido…”, desabafou.

Veja o post:

A mãe de Renan Silva Loureiro, 20, compartilhou a foto do suspeito

“Não vou me igualar à maldade, embora meu coração oscile entre a tristeza e a raiva, você também não vai tirar a bondade dentro de mim. Que seja preso, julgado, condenado e cumpra sua pena”, desabafou a mãe de Renan Silva, que compartilhou a foto do suspeito.

0

Imagens de câmeras de segurança, às quais o Metrópoles teve acesso, mostram o momento exato em que Renan Silva Loureiro, de 20 anos, foi assaltado com a namorada por um motoqueiro disfarçado de entregador de aplicativo.

Veja (imagens fortes):

O crime aconteceu na última segunda-feira (25/4), na Rua Frei Farto, em Jabaquara, zona sul de São Paulo. No vídeo, Renan ajoelha e diz: “Eu não tenho nada”, e parte para cima do homem, na intenção de proteger a namorada. Assim que o jovem reage, o criminoso atira quatro vezes em direção ao rapaz.

Antes de fugir, ele leva o celular da namorada de Renan, que começa a chorar e pedir socorro. Nas imagens é possível ouvir vizinhos se aproximando e gritando “chama a polícia”.

Buscas

Na quarta-feira (28/4), a Polícia Civil realizou buscas em dois endereços ligados ao autor do crime. Eles apreenderam uma arma de fogo e outros objetos utilizados supostamente no dia do assalto.

Os agentes encontraram em um dos endereços um revólver calibre 38, bolsa, jaqueta e capa de chuva. No segundo local, foram apreendidos vários cartões de memória de celulares, itens possivelmente roubados.

As apurações do crime são coordenadas pela 1ª Delegacia de Investigações sobre Roubos e Latrocínios, da Divisão de Investigações sobre Crimes contra o Patrimônio (Disccpat). Todos os objetos foram recolhidos, e as buscas pelo suspeito prosseguem, segundo a Civil.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

 

Mais lidas
Últimas notícias