SP mobiliza iniciativa privada para produzir e distribuir oxigênio

Demanda pelo produto aumentou com o crescimento de 110% em internações por Covid-19 no último mês no estado de São Paulo

atualizado 22/03/2021 15:07

Dimas passa horas em fila e já gastou pelo menos R$ 15 mil para não deixar que pais idosos com Covid-19 morram por falta de oxigênioHugo Barreto/Metrópoles

São Paulo – O vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) anunciou, nesta segunda-feira (22/3), que o governo de São Paulo estabeleceu uma parceria com a iniciativa privada para garantir a produção e a distribuição de oxigênio na rede pública de saúde.

Segundo Garcia, o governador João Doria (PSDB) se reuniu manhã de hoje com produtores de oxigênio, a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, e representantes da Ambev e da Copagaz.

Na reunião, os fornecedores de oxigênio garantiram que cobrirão o aumento da demanda pelo gás por conta alta da contaminação pelo coronavírus.

“Ouvimos os desafios das empresas e criamos uma força tarefa para distribuir oxigênio no formato de cilindros, já que expandimos o atendimento a pacientes com Covid-19 em UPAs”, declarou Patricia Ellen.

O governo também anunciou a instalação de uma usina de oxigênio em Ribeirão Preto, com capacidade de produção de 120 cilindros de oxigênio por dia A unidade será montada em parceria com a Ambev e ficará pronta em até dez dias.

A distribuição será feita pela rede logística da Copagaz. De acordo com o governador, o oxigênio será distribuído prioritariamente para a rede estadual de hospitais, mas governo também promete apoiar as unidades de saúde municipais e a rede filantrópica (santas casas).

Comércio com restrições durante a pandemia em São Paulo, capital

0

Últimas notícias