Apenas o Butantan pode adquirir a CoronaVac no Brasil, afirma Sinovac

Em encontro fora da agenda, o então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, negociou com intermediadores a compra de 30 milhões de doses

atualizado 18/07/2021 18:08

vacina adolescenteGettyImages

A farmacêutica Sinovac Biotech, responsável pelo desenvolvimento da CoronaVac, reforçou mais uma vez, neste domingo (18/7), que apenas o Instituto Butantan está autorizado a comprar o imunizante para o Brasil. O pronunciamento ocorre dois dias depois que a Folha de S.Paulo revelou que, em março deste ano, o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, negociou com intermediários a compra de 30 milhões de doses do imunizante.

“A CoronaVac é desenvolvida, produzida e distribuída pela Sinovac. No Brasil, apenas o Instituto Butantan, nosso parceiro exclusivo, pode comprar a CoronaVac. Temos trabalhado muito com o Instituto Butantan para fornecer vacinas a preços acessíveis para o povo brasileiro”, informou a farmacêutica em nota.

Além disso, explicaram também que “qualquer informação divulgada por qualquer empresa sem a autorização da Sinovac não tem validade jurídica. Em caso de publicação de notícias falsas, nos reservamos o direito de tomar todas as medidas, incluindo legais e de busca por soluções e responsabilização”.

Em encontro fora da agenda, o então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, negociou com intermediadores a compra de 30 milhões de doses da vacina Coronavac. Os imunizantes foram oferecidos ao governo pelo preço de 28 dólares por dose, o que corresponde a quase o triplo do valor comercializado pelo Instituto Butantan (10 dólares).

Uma gravação em que Pazuello descreve o compromisso foi obtida pela Folha de S.Paulo. Na ocasião, em 11 de março, o ex-ministro se encontrou com representantes da empresa World Brands, de Santa Catarina. A reunião aconteceu no gabinete do então secretário-executivo da pasta, o coronel da reserva Elcio Franco.

Últimas notícias