A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou nesta quarta-feira (5/9) a suspensão temporária da comercialização de 26 planos de saúde de 11 operadoras em função de reclamações relacionadas à cobertura assistencial. A medida é resultado do Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento, realizado a cada três meses, e começa a valer a partir da próxima segunda-feira (10).

Juntos, os planos têm 75,5 mil beneficiários, que passam a ficar protegidos com a medida e com a assistência regular a que têm direito garantida. No entanto, para que voltem a ser comercializados, as operadoras devem comprovar melhorias no atendimento.

O programa de monitoramento avalia as operadoras a partir das reclamações registradas pelos beneficiários nos canais da ANS. Nesse ciclo, foram consideradas as demandas (como negativas de cobertura e demora no atendimento) recebidas no segundo trimestre de 2018. O objetivo é estimular as operadoras a qualificarem o atendimento prestado aos consumidores. Paralelamente à suspensão, houve a reativação de 20 planos de 11 operadoras, que ficam liberados para comercialização também a partir da próxima segunda (10).

No trimestre compreendido entre 1º de abril a 30 de junho de 2018, a ANS recebeu 17.171 reclamações de natureza assistencial por meio de seus canais de atendimento. Dessas, 16.189 foram consideradas para análise pelo Programa de Monitoramento. No período, 93,2% das queixas foram resolvidas pela mediação feita pela ANS via Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), garantindo resposta ao problema dos consumidores.

Os beneficiários também podem consultar na página da ANS na internet informações do monitoramento por operadora, conferindo o histórico das empresas e verificando, em cada ciclo, se ela teve planos suspensos ou reativados.