RJ: PM afasta 12 policiais que participaram de ação que matou Kathlen

Doze fuzis foram aprendidos pela Delegacia de Homicídios para saber se tiro que a atingiu no tórax partiu de um deles

atualizado 11/06/2021 12:05

Aline Massuca/Metrópoles

Rio de Janeiro – A Polícia Militar confirmou o afastamento dos 12 policiais militares que participaram da ação que resultou na morte da designer Kathlen Abreu, de 24 anos, grávida de 4 meses, na última terça-feira (8/6).

Doze fuzis foram aprendidos pela Delegacia de Homicídios da Capital para saber se o tiro que a atingiu no tórax partiu de um deles, além de nove pistolas. Parentes de Kathlen prestam depoimento na delegacia na manhã desta sexta-feira (11/6).

O cabo Marcos Felipe da Silva Salviano admitiu ter disparado cinco vezes com fuzil em depoimento. Ele afirmou ainda que o cabo Friad atirou outras duas vezes também com um fuzil.

Kathlen, que estava grávida do primeiro filho, foi atingida durante uma operação policial nessa terça-feira (8/6). Os PMs dizem que a fatalidade ocorreu durante um confronto com bandidos.

Estatísticas

Levantamento da plataforma de dados Fogo Cruzado mostra que quase 700 mulheres foram baleadas na região metropolitana do Rio de Janeiro de 2017 a 2021. Pelo menos 15 delas estavam grávidas. Oito gestantes morreram. Do total, 258 mulheres morreram por causa de disparos de armas de fogo. O último caso registrado foi a morte de Kathlen.

Últimas notícias