RJ: anotação indica conexão de ex-vereador e Ronnie Lessa em milícia

Cristiano Girão, ex-vereador no RJ, é acusado de contratar Ronnie Lessa, acusado por morte de Marielle, para matar rival miliciano

atualizado 02/08/2021 12:13

Polícia Civil do Rio prende, em São Paulo, o ex-vereador Cristiano GirãoReprodução

Apontado como chefe da milícia da Gardênia Azul, zona oeste, o ex-vereador Cristiano Girão Matias, de 49 anos, estabeleceu uma conexão com Ronnie Lessa em negócios relacionados à milícia no Rio de Janeiro.

Lessa é um PM reformado e acusado pelo assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Girão foi preso pelo delegado Edson Henrique Damasceno, em São Paulo, sexta-feira (30/7), acusado de ter contratado Lessa para matar o rival André Henrique da Silva Souza, o Zóio, na Gardênia Azul, zona oeste, em 2014.

De acordo com a denúncia, na prisão de Lessa, em março de 2019 (por acusações relacionadas ao caso Marielle), a polícia apreendeu pedaços de papel com anotações que o ligam não só à morte de Zóio, como também o vinculam ao ex-vereador Girão.

Num deles, o nome do ex-vereador aparecia com os prenomes abreviados “C.G.Matias”, com endereços e telefones.

No documento, o nome de “Girão” também aparece duas vezes em outro pedaço de papel, acompanhado por números de telefones pessoais do ex-vereador.

As anotações, segundo os investigadores, evidenciam a ligação de Lessa com Girão.

Últimas notícias