Rio-Niterói: sequestrador levou seis tiros, registra perícia inicial

Segundo a mãe do acusado, ele estava em surto psicótico há dias. Nenhum dos 37 passageiros do ônibus ficou ferido

Reprodução/TV GloboReprodução/TV Globo

atualizado 23/08/2019 8:44

As primeiras análises da perícia indicam que o homem que sequestrou um ônibus, na manhã desta terça-feira (20/08/2019), no Rio de Janeiro, levou seis tiros ao ser baleado por snipers do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Os tiros atingiram o antebraço direito, perna esquerda, braço esquerdo e o tórax do acusado Willian Augusto da Silva, de 20 anos, que faleceu no local do crime.

O sequestro durou cerca de quatro horas, iniciando às 5h30. Os militares conseguiram acertar William quando ele desceu do coletivo e jogou um casaco aos policiais,. Nenhum dos 37 passageiros a bordo ficou ferido.

De acordo com o batalhão responsável pelo caso, a mãe do sequestrador disse que ele estava em surto psicótico há dias. Assim, a negociação dos policiais passou a ser tática, ao procurar alguma forma de conter o criminoso. As investigações também comprovaram que o revólver utilizado pelo sequestrador era de brinquedo.

Ao ser acertado, o coletivo foi cercado e uma maca foi deixada ao lado do ônibus para retirada do corpo. Os policiais foram aplaudidos pelos civis que estavam nas redondezas.

Segundo nota da Secretaria Municipal de Saúde do estado, Willian chegou ao hospital com “parada cardiorrespiratória e foi constatado o óbito pela equipe médica do hospital [Souza Aguiar]”.

Últimas notícias