Rio Grande do Sul confirma transmissão comunitária da variante Delta

Até o momento, foram confirmados três casos em moradores do estado com a variante Delta, identificada inicialmente na Índia

atualizado 25/07/2021 14:07

variante delta sao paulo - CoronavirusFábio Vieira/Metrópoles

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) do Rio Grande do Sul informou, na noite de sábado (24/7), a ocorrência de transmissão comunitária da variante Delta (B.1.617.2) do coronavírus no estado.

De acordo com o Cevs, a transmissão comunitária ocorre quando há contágio entre residentes do mesmo território que não viajaram a outros locais, e quando não é possível identificar a origem do vírus.

Até o momento, foram confirmados três casos em moradores da região com a variante Delta. Dois dos registros são no município de Gramado, em indivíduos que têm vínculo e foram infectados na cidade. O terceiro caso é de um homem residente em Nova Bassano, que contraiu a doença em uma viagem ao Rio de Janeiro.

O primeiro caso no Rio Grande do Sul foi identificado na última segunda-feira (19/7), após sequenciamento genético realizado por equipes da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Além das três confirmações de pacientes infectados com a variante Delta no estado, há outros 11 casos suspeitos sob investigação. Os registros são nas cidades de Gramado, Sapucaia do Sul, Esteio, Canoas, Alvorada, Passo Fundo, São José dos Ausentes e Santana do Livramento.

“O Cevs realiza, pelo Laboratório Central do Estado (Lacen/RS) e pelo Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CDCT), testes preliminares para a identificação desses casos suspeitos, incluindo sequenciamento parcial. As análises determinam se a amostra é uma provável variante de preocupação a partir da identificação de mutações específicas que são diferentes entre os tipos de vírus”, informou o centro.

0
Variante Delta

Nas últimas semanas, a variante Delta do coronavírus, que surgiu primeiramente na Índia em outubro de 2020, vem assustando o mundo. Países com grande parte da população vacinada, como Israel e Estados Unidos, precisaram rever as medidas de distanciamento que foram flexibilizadas para conter novos casos de infecção pela variante.

A cepa já está presente em mais de 96 países, é predominante em alguns deles, e preocupa a Organização Mundial de Saúde (OMS). A estimativa da entidade é que, em alguns meses, a variante seja a predominante no mundo.

Nesta semana, a Secretaria de Saúde do DF anunciou 6 casos de pacientes que foram infectados pela Delta. Também já foi notificada a presença da variante no Paraná, Pernambuco, São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás.

Últimas notícias