“Revacinação de idosos com Coronavac é desnecessária”, afirma Butantan

Coronavac apresentou taxa de 0,02% efeitos adversos, o que a torna muito segura, além de ser eficaz contra a variante brasileira

atualizado 31/05/2021 14:12

Vacina CoronavacFábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – Os estudos do Projeto S indicam que a “revacinação de idosos que tomaram a Coronavac é desnecessária neste momento”, segundo Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

“Existe ausência de dados até este momento que afirmem que precisemos de um reforço de dose. Essas notícias que causaram alarde nos últimos dias não procedem”, prosseguiu  Covas.

O Projeto S é uma investigação científica promovida pelo Instituto Butantan, com recursos da Fapesp, que promoveu a vacinação em massa da população adulta da cidade de Serrana (SP), município de pouco mais de 45 mil habitantes na região de Ribeirão Preto.

A declaração foi dada em entrevista a jornalistas nesta segunda-feira (31/5), no Instituto Butantan, onde a entidade divulgou os primeiros resultados do estudo.

Segundo a entidade, a Coronavac apresentou uma taxa de efeitos adversos de 0,02%, o que confirmou a segurança. O imunizante também se revelou eficaz na contenção da disseminação da variante brasileira, o que já havia sido antecipado pelo Metrópoles.

A vacinação de toda a população adulta da cidade também apresentou os seguintes índices:

  • Queda de 95% no número de mortes;
  • Redução em casos de Covid-19 com sintomas em 80%;
  • Diminuição no número de internações em 86%.

Últimas notícias