Reitor da Unisinos rejeita condecoração por não acreditar no governo

O padre Marcelo de Aquino rejeitou indicação de seu nome para receber a insígnia do grau de Cavaleiro da Ordem de Rio Branco

atualizado 29/11/2021 22:50

Marcelo Aquino UnisinosADCE/Reprodução

O reitor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), padre Marcelo Fernandes de Aquino, rejeitou indicação de seu nome para ser condecorado com a insígnia do grau de Cavaleiro da Ordem de Rio Branco, oferecida pelo governo federal a personalidades por “serviços ou méritos excepcionais” prestados ao país.

Em carta enviada ao Itamaraty nesta segunda-feira (29/11), o reitor disse reconhecer a importância da honrosa insígnia, mas que não poderia aceitá-la.

“Declino receber essa condecoração, em virtude da atual incapacidade do governo federal de dar rumo correto para as políticas públicas para as áreas de educação, saúde, meio ambiente, ciência e tecnologia”, disse na carta.

Veja íntegra:

reitor da unisinos rejeita condecoração do Itamaraty

No início de novembro, 21 brasileiros renunciaram à medalha da Ordem Nacional do Mérito Científico, dada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por meio de decreto. No texto, ministros do governo e diversos cientistas foram condecorados com a honraria, que reconhece contribuições científicas e técnicas para o desenvolvimento da ciência no Brasil.

Insígnia do grau de Cavaleiro da Ordem de Rio Branco

A recusa ocorreu em repúdio ao chefe do Palácio do Planalto, que, ao longo da pandemia de Covid-19, duvidou da eficácia de vacinas, induziu a tratamentos sem efeito e minimizou medidas de isolamento.

Mais lidas
Últimas notícias