Queiroga: “Mães brasileiras não estão preocupadas com monkeypox”

Na sexta-feira (29/7), o governo federal confirmou a primeira morte por varíola dos macacos no Brasil

atualizado 01/08/2022 13:22

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga participa do lançamento da campanha de amamentação. O ministro se exaltou ao ser questionado por jornalista sobre as vacinas para monkeypox. Ele disse que "as mães brasileiras não estão preocupadas com a monkeypox". Rafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, rebateu questionamentos sobre a varíola dos macacos durante lançamento da Campanha Nacional de Aleitamento Materno, nesta segunda-feira (1º/8). Para ele, as mães brasileiras “não estão preocupadas” com o surto da doença.

A pasta havia organizado uma coletiva de imprensa para esclarecer dúvidas sobre a monkeypox em gestantes e lactantes. No entanto, o evento foi cancelado. Questionado sobre a doença no país, o ministro se recusou a dar detalhes sobre o assunto.

“O tema é aleitamento materno. As mães brasileiras não estão muito preocupadas com monkeypox. Estão preocupadas em alimentar os seus filhos. Vamos falar sobre aleitamento. Pena que tem alguns assuntos que não interessam às pessoas”, disse o ministro.

Queiroga afirmou que existe uma “criação de narrativas” sobre problemas que envolvem o Ministério da Saúde. “Querem ficar o tempo inteiro com as mesmas narrativas, os mesmos enredos. A semana passada é que faltava medicamento. No mês de maio era que a gente tinha uma quarta onda da Covid. Agora são esses medicamentos pra monkeypox, vacinas”, disse.

Antiviral

Na manhã desta segunda, Queiroga anunciou, em uma rede social, que o Brasil receberá o antiviral tecovirimat, medicamento usado contra a varíola dos macacos. A compra será realizada por intermédio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

De acordo com o ministro, as primeiras remessas serão destinadas a “casos mais graves”. O objetivo é reforçar o enfrentamento ao surto que ocorre no Brasil. O último boletim registrado aponta 1.066 casos no Brasil.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

Apesar de ter divulgado a aquisição, o ministro não informou quantas doses serão compradas nem o prazo para que o remédio chegue ao país. Durante o evento desta manhã, ele também evitou detalhar sobre o tema.

“Vamos conseguir uma quantidade inicial e posteriormente o departamento de assistência farmacêutica vai buscar medicamentos para atender as situações mais graves”, afirmou.

Na sexta-feira (29/7), o governo federal confirmou a primeira morte por varíola dos macacos no Brasil. O óbito foi registrado na quinta-feira (28/7), e a vítima era um homem de 41 anos, que faleceu em Belo Horizonte (Minas Gerais).

O paciente tinha câncer e baixa imunidade, quadro que foi agravado pela varíola. Ao Metrópoles o secretário de Vigilância em Saúde da pasta, Arnaldo Medeiros, informou que não há outros óbitos em investigação.

 

Mais lidas
Últimas notícias