“Que o casal se arrependa”, diz tia-avó de Henry, antes de julgamento

Ocorre nesta quarta (6/10) a primeira audiência do caso de assassinato com testemunhas da acusação, contra Monique Medeiros e Jairinho

atualizado 06/10/2021 9:51

Aline Massuca/Metrópoles

Rio de Janeiro – “Peço a justiça também de Deus e desejo que esse casal se arrependa do que fez. Agora, queremos a sentença”, disse Rute Borges, tia-avó de Henry Borel por parte do pai do menino, Leniel Borel.

Parentes do garoto, que tinha 4 anos quando foi assassinado em março deste ano, chegaram ao Tribunal de Justiça usando camisas com sua foto para a primeira audiência do caso no 2 Tribunal do Júri, no Centro do Rio. A sessão deve começar 9h30.

0

“Hoje começa a etapa de saber o que aconteceu com meu filhinho. Tenho muita coisa para acrescentar, espero que as testemunhas apareçam”, afirmou o engenheiro Leniel Borel, ao chegar para prestar depoimento. “É muito triste ficar frente a frente com a Monique [Medeiros, mãe de Henry]. Não queria, vai ser muito difícil para mim. Mas o importante é que a Justiça seja feita. Quero saber o que aconteceu entre 19h30 e 3h.”

Serão ouvidas 12 testemunhas de acusação. Duas não foram localizadas: as  médicas que atenderam o menino que já chegou morto ao hospital Barra D’Or. A babá Thayna de Oliveira Ferreira, que revelou que a mãe, Monique Medeiros, sabia das agressões praticadas pelo padrasto Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, estará presente.

Monique e Jairinho foram presos em 8 de abril. O ex-político vai acompanhar a sessão por videoconferência do Presídio Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo Penitenciário Gericino, em Bangu.

A pedido do Metrópoles, Leniel enviou um vídeo. Ele pede julgamento proporcional ao crime e chama Jairinho e Monique de monstros. Veja o vídeo:

Últimas notícias