Psicólogo sofre ataques racistas e homofóbicos ao defender Anitta

Polícia Civil investiga suspeito, que se identifica como advogado nas redes sociais e atacou psicólogo de Goiânia em post sobre Anitta

atualizado 12/05/2022 11:17

Psicólogo Rafael Alves Santos, morador de Goiânia, GoiásReprodução

Goiânia – Um psicólogo de 33 anos diz que foi vítima de discriminação racial e homofobia ao defender a artista Anitta nas redes sociais. Rafael Alves Santos, morador de Goiânia, retrucou comentários ofensivos à cantora e sofreu ataques por meio de mensagens nas redes.  A Polícia Civil de Goiás investiga o suspeito, que se identifica como advogado.

O psicólogo recebeu mensagens com questionamento sobre sua vida pregressa na noite de terça-feira (10/5). “Se eu puxar sua ficha, encontraremos quantos BO’s?”, disse um homem identificado como advogado, referindo-se a boletim de ocorrência de crimes registrados pela polícia.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

“Procure a cura”

Em outro comentário, Rafael é atacado por ser gay. “Espero ansiosamente que um dia procure a cura”, afirmou o suspeito, dirigindo-se ao psicólogo, que passou a receber diversas mensagens de apoio depois dos ataques.

Nas redes sociais, Rafael respondeu a mensagens do advogado que fez críticas em uma publicação que falava sobre aulas que a cantora deveria ministrar em uma universidade. “Agora qualquer porcaria pode dar aula?”, questionou o advogado.

Anitta

Depois de o homem criticar Anitta na publicação, o psicólogo respondeu e destacou as qualificações da cantora. Rafael sugeriu que o advogado pesquisasse mais sobre a história dela.

“Você vai se surpreender com a inteligência dela, formada em administração, poliglota, bilionária e conseguiu tudo isso gerenciando sua própria carreira e tendo só 29 anos. Acho que não é qualquer porcaria”, escreveu Rafael.

Logo em seguida, o homem começou a ofender o psicólogo. “Se eu puxar sua ficha, encontraremos quantos BO’s? Ou é procurado pela Justiça? Bom, na dúvida, salvei algumas fotos suas. Se não me engano, já vi um criminoso na TV, parecia muito com você. Sempre é bom ter cuidado com pessoas como você”, escreveu o homem.

Depois, o advogado começou a fazer declarações homofóbicas contra o psicólogo. “Pronto, o que não poderia piorar, conseguiu ser pior. É da turma do [símbolo de arco-íris]. Espero ansiosamente que um dia procure a cura, o mundo torce por isso. Desejamos o melhor para vocês se livrarem desse fardo que carregam”, disse o homem.

De acordo com o psicólogo, o homem também fez ataques homofóbico em post que aparece ao lado do namorado. “Isso não é amor, é sem-vergonhice”, escreveu o advogado.

“Importância”

O delegado Joaquim Adorno afirmou ao Metrópoles que o caso será investigado pelo Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Geacri).

“Gostaria de ressaltar a importância da denúncia, como fez o Rafael. Às vezes, a pessoa é vítima de racismo, homofobia e transfobia, mas não procura os órgãos responsáveis”, destacou, ressaltando que a Polícia Civil está preparada para investigar esses casos, para que o autor dos crimes responda de acordo com a legislação penal.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Mais lidas
Últimas notícias