Vídeo: registros antigos contrariam fala de Lula sobre invasões do MST

Em entrevista ao Jornal Nacional, na noite de quinta-feira (25/8), o petista afirmou que o movimento só invadiu terras improdutivas

atualizado 26/08/2022 9:13

debate candidato presidencia luiz inacio lula da silva JNdebate candidato presidencia luiz inacio lula da silva JN Reprodução/Tv Globo

Sabatinado no Jornal Nacional, da TV Globo, na noite de quinta-feira (25/8), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) só invadiu “terras improdutivas”. A proximidade do PT com o movimento é comumente usada por bolsonaristas para criticar o petista e afastá-lo do agronegócio.

Registros antigos, veiculados pela imprensa nacional, apontam que o MST já invadiu terras produtivas.

Em 2009, durante a segunda gestão de Lula, o grupo entrou em uma fazenda no interior de São Paulo e destruiu 5 mil pés de laranja. Em 2013, no governo Dilma Rousseff, uma pesquisa universitária foi destruída.

Na entrevista, Lula defendeu que o MST só invade terras improdutivas, que não são utilizadas para moradia nem para plantio, ou seja, que não cumprem a função social prevista pela Constituição.

Na segunda-feira, também ao JN, Jair Bolsonaro (PL) disse que “pacificou o MST, titulando terras pelo Brasil”. O presidente gosta de dizer que, no seu governo, isolou e “acabou” com o MST.

Coordenador nacional do MST, João Paulo Rodrigues respondeu ao presidente e disse que o movimento “sempre foi pacífico e de luta”.

“Ocupamos 32 latifúndios nos últimos 4 meses. Resistimos a todas ofensivas desse Bolsonaro Genocida. Não perdemos nenhum acampamento ou assentamento. Produzimos e doamos na pandemia 7 mil toneladas de alimentos”, afirmou Rodrigues.

Sabatinas no Jornal Nacional

Lula foi o terceiro entrevistado da série de sabatinas do noticioso da TV Globo com os candidatos ao Palácio do Planalto nas eleições deste ano. As sabatinas começaram na segunda-feira (22/8), com o presidente Jair Bolsonaro. Na terça-feira (23/8), Ciro Gomes (PDT) foi o entrevistado.

As entrevistas têm 40 minutos de duração e são feitas ao vivo diretamente dos “Estúdios Globo”, anteriormente chamado de Projac, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

As datas e a ordem das entrevistas foram definidas por sorteio em 1º de agosto com representantes dos partidos dos presidenciáveis. Veja:

Segunda-feira (22/8): Jair Bolsonaro (PL)
Terça-feira (23/8): Ciro Gomes (PDT)
Quarta-feira (24/8): sem entrevista
Quinta-feira (25/8): Lula (PT)
Sexta-feira (26/8): Simone Tebet (MDB)

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
0

Mais lidas
Últimas notícias