Vídeo em que Bolsonaro defende tratamento precoce é banido do YouTube

A plataforma explicou ao Metrópoles que a live foi removida por violar as diretrizes da comunidade do YouTube

atualizado 21/04/2021 15:37

Bolsonaro exibe cloroquina na liveReprodução/Redes sociais

A plataforma de compartilhamento de vídeos YouTube retirou do ar um vídeo do canal do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Na denominada “live semanal”, o mandatário aparecia defendendo o tratamento precoce contra a Covid-19. O uso dos fármacos apontados pelo chefe do Executivo para combater o vírus que matou mais de 350 mil brasileiros é cientificamente ineficaz.

Apesar de ter sido retirado do canal de Bolsonaro, o vídeo de mais de uma hora ainda está ativo no Facebook, com mais de 2,3 milhões de visualizações.

A plataforma explicou ao Metrópoles que a live foi removida por violar as diretrizes do Youtube.

“A atualização está alinhada às orientações atuais das autoridades de saúde globais sobre a eficácia dessas substâncias. Desde o início da pandemia, o YouTube já removeu mais de 850 mil vídeos por violarem as diretrizes de conteúdo da plataforma sobre o coronavírus”, disse a empresa, por e-mail.

“Atualizamos nossas políticas de informações médicas incorretas sobre a Covid-19. Com isso, ao menos que haja contexto educacional, documental, científico ou artístico suficiente, a plataforma passou a remover vídeos que recomendam o uso de ivermectina ou hidroxicloroquina para o tratamento ou prevenção da Covid-19, fora dos ensaios clínicos, ou que afirmam que essas substâncias são eficazes e seguras no tratamento ou prevenção da doença”, complementou a nota.

Além de ter questionado os métodos do ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta, o mandatário do país afirma que o uso de tais medicamentos não fazem mal.

Na ocasião, o titular do Palácio do Planalto ainda compara os fármacos com água de coco, usada, segundo Bolsonaro, em substituição ao sangue, para soldados feridos na Guerra do Pacífico.

“Quero repetir aqui a história. Guerra do Pacífico. Os soldados chegavam lá feridos, não tinha sangue, não tinha doador. Colocaram o que na veia do cara? Água de coco. E deu certo. Se fosse esperar uma comprovação científica, teriam morrido quantas pessoas na Guerra do Pacífico que não morreram? É a mesma coisa o tratamento precoce da Covid-19 com hidroxicloroquina, ivermectina, a tal da Annita, mais azitromicina, mais vitamina D”, disse Bolsonaro no vídeo.

“E não faz mal isso aí. E, se lá para a frente for comprovado que não faz surtir efeito, o que não vai acontecer, porque, repito, neste prédio que eu estou aqui, mais de 200 pessoas contraíram Covid, foram tratadas precocemente e nenhuma foi para o hospital”, reforçou.

Questionado pela reportagem, o Palácio do Planalto afirmou, por e-mail, que não se manifestará sobre a remoção. “O Planalto não irá se manifestar”, pontuou a secretaria de comunicação da Presidência.

Últimas notícias