Em encontro com empresários, Bolsonaro diz não temer CPI da Covid

Na reunião virtual com representantes do setor produtivo, o presidente também foi cobrado por atenção ao meio ambiente

atualizado 20/04/2021 22:24

Videoconferência de Bolsonaro e ministros com Paulo Skaf, da FiespMarcos Corrêa/PR

Em mais um esforço para se aproximar do setor produtivo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) convocou dez ministros nesta terça-feira (20/12), para a sua primeira reunião do ano com empresários do “Diálogos pelo Brasil”, grupo criado pelo presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, para mediar a relação do setor com o governo federal.

No final da reunião, os empresários cobraram um posicionamento do governo em relação à Cúpula do Clima, que começa nesta quarta-feira (21/4). O grupo ainda marcou um novo encontro também nesta quarta para apresentar propostas para o setor.

No último dia 7, Bolsonaro participou de um jantar em São Paulo com cerca de 20 empresários na casa do empresário Washington Cinel, dono da empresa de segurança Gocil. O evento desta terça foi realizado por videoconferência e contou com a presença de 40 grandes empresários e executivos do país.

Entre eles estavam Abílio Diniz (Península), André Bier Gerdau Johannpeter (Gerdau), André Esteves (BTG Pactual), Wesley Batista Filho (JBS), Rubens Ometto (Cosan) e Luiz Carlos Trabuco (Bradesco).

Segundo relatos de participantes, em sua fala o presidente fez uma crítica aos governadores ao reclamar do “abre e fecha” do comércio, elogiou o ministro da Economia, Paulo Guedes, e disse que “não teme” a CPI da Covid no Senado.

Bolsonaro também exaltou as ações do governo federal contra a pandemia após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, dizer que cerca de 900 mil kits para intubação de pacientes graves com Covid-19 chegarão ainda nesta semana ao país, importados da Espanha.

Horizonte melhor

O ministro da Saúde fez a fala mais longa da reunião. Queiroga disse aos empresários que prevê “um horizonte melhor” de vacinação entre maio e junho e defendeu que é preciso encontrar uma solução para evitar aglomerações no transporte público – uma prerrogativa dos estados e municípios.

O ministro também pregou o distanciamento social e uso de máscaras, mas afirmou que um novo protocolo para uso de medicamentos do “kit Covid” nos hospitais será anunciado em breve. Defendido por Bolsonaro, o tratamento precoce contra a Covid não tem base científica.

Todos os ministros presentes fizeram uma pequena apresentação sobre suas pastas e Skaf foi o único a falar em nome dos empresários. O presidente da Fiesp apresentou uma lista com três “demandas” do setor, combinadas previamente em um grupo de WhatsApp: ampliação e aceleração da vacinação, reforma administrativa e um bom ambiente econômico.

0

Últimas notícias