“Vai diminuir mais”, diz Bolsonaro sobre taxa do cheque especial

Presidente elogiou a fixação do teto de 8% ao mês pelo Banco Central nos juros da modalidade de crédito

Rafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 04/01/2020 22:08

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acredita que os bancos praticarão, nos próximos meses, taxa de juros sobre o cheque especial ainda menor do que o limite de 8% estabelecido pelo Banco Central. “Eu tenho certeza de que vai diminuir mais ainda. Tenho certeza”, afirmou, em transmissão ao vivo pelo Facebook neste sábado (04/01/2020). 

O mandatário do país nega, porém, qualquer interferência do Executivo na questão. “O pessoal fala: ‘8% é muito’. Eu sei que é muito, mas estava 14%. Vamos com calma. Não dá para você botar um valor lá embaixo, que você quebra. Eu não posso interferir na economia. Quando a taxa Selic começou a bater lá 5%, 4,5%, o pessoal [dos bancos] se encorajou”, disse.

“Agora, na Caixa Econômica não está 8%, está 5%. Vá para a Caixa Econômica. E a Caixa, eu tenho certeza que o Pedro Guimarães [presidente] vai baixar mais ainda. E na verdade só chegou a 8%, através do Banco Central, porque a Caixa saiu na frente. Se a Caixa fosse um banco privado, eu acho que estaria no bolo dos 14%”, complementou Bolsonaro.

Últimas notícias