Bolsonaro diz que Copom pode reduzir taxa básica de juros a 4,5%

Presidente tentou esclarecer que se trata de uma "suposição", afirmando que sua "torcida" é pela diminuição

ReproduçãoReprodução

atualizado 15/11/2019 6:36

O presidente Jair Bolsonaro previu, na noite desta quinta-feira (14/11/2019), que a taxa básica de juros — hoje em 5% — pode chegar a 4,5% após a última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central a ser realizada ainda em 2019.

Em transmissão ao vivo pelo Facebook, Bolsonaro deu espaço para o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, falar sobre a queda dos juros do banco sobre o cheque especial. “Todo mundo reclama do cheque especial. Eles reclamam, inclusive, que muitas vezes a taxa Selic diminui e lá na ponta da linha, nada”, disse Bolsonaro.

Guimarães respondeu: “A gente reduziu para 9% três meses atrás, e nesta quarta-feira (13/11/2019) a gente fez um outro anúncio matemático: 5%”.

O chefe do Executivo, então, associou a porcentagem à atual Selic: “A taxa Selic está 5% ao ano. Pode passar para 4,5%, inclusive, na última reunião do Copom no corrente ano”, antecipou.

Em seguira, Bolsonaro tentou esclarecer que se tratava de uma suposição. “Todo mundo fica curioso, né? Quer saber se vai baixar ou se não vai. Eu também fico, mas não falo nada. A minha torcida, torcida, é sempre para diminuir, está certo?”, finalizou.

“Quem conduz a reunião do Copom é o presidente do Banco Central?”, indagou o presidente.

“Sim, com a diretoria, mas o presidente Roberto Campos é o líder da operação”, respondeu Guimarães.

De acordo com o comunicado que estabelece o Calendário das Reuniões Ordinárias do Comitê de Política Monetária (Copom) para o ano de 2019, os últimos encontros do ano estão previstos para os dias 10 e 11 de dezembro.

Últimas notícias