TCU gasta R$ 58 mil em viagem de ministros a Abu Dhabi

Nota da Veja lembra que, no mesmo período em que eles participam de conferência das Nações Unidas, Flamengo joga o Mundial de Clubes

atualizado 12/12/2019 17:35

Foto: TCU

O Tribunal de Contas da União (TCU) vai gastar R$ 58 mil em diárias para custear a estadia em Abu Dhabi (Emirados Árabes) de dois ministros: Benjamin Zymler e Augusto Sherman. Eles participam da 8ª Conferência dos Estados Partes da Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção (CoSP).

Nota da coluna Radar, da Veja, pontuou que a viagem coincide com a participação do Flamengo no Mundial de Clubes no Catar, país vizinho – ambos torcem para o time fluminense. O TCU nega, e destaca o fato de que os Emirados Árabes Unidos não tem relações diplomáticas com o Qatar e, portanto, não há voos entre os países e as fronteiras são fechadas, o que obrigaria o interessado em ver o jogo a deslocar-se até outro país para, então, voltar ao Qatar.

Desde 2017, os dois países do Oriente Médio vivem uma crise diplomática, não mantém relações e, portanto, não existem voos diretos entre os dois destinos.

“Esse negócio do jogo foi apenas uma coincidência. O tribunal ia participar disso [convenção] e estava decidido desde fevereiro”, disse o presidente do TCU, José Mucio Monteiro, em café da manhã com jornalistas. Segundo ele, a confusão foi oriunda do fato de a liberação dos valores para a viagem serem feitos com aproximadamente uma semana do deslocamento por questões cambiais.

Os valores da viagem foram divulgados no último dia 27/11 pelo tribunal, quatro dias depois de o Flamengo sagrar-se campeão da Libertadores. Segundo o tribunal, que nega que eles irão a jogos de futebol, Zymler já viajou ao país árabe na última segunda-feira (09/12/2019) e Sherman embarca na sexta-feira (13/12/2019). Eles retornam, respectivamente, nos dias 23 e 22 – após, portanto, a final do Mundial, no dia 21.

Além dos dois, também irá na viagem um auditor do TCU, Laureano Canabarro, cujas 8,5 diárias consumirão R$ 17,58 mil do tribunal.

Em nota, o TCU disse que o convite para participar da conferência foi recebido em 10 de fevereiro – eles também anexaram cópia do e-mail com o chamado. Zymler e Sherman foram designados para representar o tribunal, segundo a assessoria de imprensa, em 23 de setembro e 12 de novembro, respectivamente.

De acordo com eles, o convite para os ministros, que estarão em Abu Dhabi “exclusivamente para participação na Cosp”, foi feito pela Entidade de Fiscalização Superior dos Emirados Árabes, que “preside a Intosai, organização internacional formada por mais de 190 países, na qual o TCU representa o Brasil”.

A despesa só foi publicada em 21 de novembro, sustentam, por “procedimento administrativo usual nas viagens internacionais, para amenizar riscos da oscilação de câmbio nas diárias”.

“A Cosp é o mais importante meio pelo qual as políticas da Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção (UNCAC) são elaboradas. A participação de ministros do TCU, bem como de outras autoridades brasileiras no fórum internacional é de extrema relevância para a cooperação entre os órgãos de combate à corrupção e para detecção e prevenção das práticas danosas aos governos”, sustentaram.

Últimas notícias