“Quanto mais lei tem um país, pior”, diz Bolsonaro ao falar de multas

Presidente também voltou a criticar a proposta que cria um Certificado de Imunização e Segurança Sanitária (CSS) para Covid-19

atualizado 16/06/2021 11:12

Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores na saída do Palácio da AlvoradaRafaela Felicciano/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quarta-feira (16/6) que “quanto mais lei tem um país, pior”. A declaração foi dada ao comentar a aplicação de multas de trânsito durante conversava com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Na ocasião, o chefe do Executivo federal também voltou a criticar o projeto de lei sobre passaporte sanitário de vacinação contra a Covid-19, quando comparou a situação com as multas de trânsito.

“Quanto mais você quer regular… É igual o Senado, votou, né – eu acho que faltou discutir mais o assunto, eu acho – criando o passaporte da Covid. Não tem cabimento. Toma vacina quem quer. Se eu não quero uma coisa, eu boto na lei para os outros que não concordam comigo serem obrigados a cumprir… Tem que primar pela liberdade”, afirmou.

“Agora, você quer saber se um país é bom ou não: quanto mais lei tem um país, pior é aquele país. Então, o que vale é a consciência da população. Agora, o pessoal faz isso da velocidade para exatamente multar. O objetivo na ponta da linha é multar”, declarou.

O mandatário também afirmou ter reduzido a quantidade de radares federais nas rodovias e criticou a existência dos equipamentos de controle de velocidade.

“Eu acabei com muitos radares, passou de 8 mil para 2 mil. Você fica mais preocupado em olhar radar, pardal escondido do que a pista. Atrapalha mais isso daí”, disse o presidente.

Bolsonaro é crítico da aplicação de multas de trânsito e de meio ambiente e já acusou órgãos de fiscalização de agirem como uma “indústria da multa”.

A conversa de Bolsonaro com apoiadores foi divulgada por um canal no YouTube simpático ao presidente.

0

Últimas notícias