Parecer da PEC do voto impresso será lido nesta segunda, diz Bia Kicis

A proposta, defendida pelo presidente Jair Bolsonaro, exige a impressão de cédulas em papel na votação e na apuração das eleições

atualizado 28/06/2021 11:44

Deputada Bia Kicis_CCJWill Shutter/Câmara dos Deputados

A deputada Bia Kicis (PSL-DF) prometeu ler nesta segunda-feira (28/6) o relatório da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19, que torna obrigatório o voto impresso.

A comissão especial criada pela Câmara para analisar a matéria reúne-se durante a tarde para a apresentação do parecer do relator, deputado Filipe Barros (PSL-PR).

A proposta, defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), exige a impressão de cédulas em papel na votação e na apuração de eleições, plebiscitos e referendos no Brasil.

Bia Kicis, autora do projeto, e Filipe Barros estiveram hoje no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

Ao ser questionada por apoiadores sobre o projeto, a deputada afirmou: “Será lido hoje o relatório do voto impresso”, resumiu.

Pelo texto, essas cédulas poderão ser conferidas pelo eleitor e deverão ser depositadas em urnas indevassáveis de forma automática e sem contato manual, para fins de auditoria.

A proposta teve a admissibilidade aprovada em dezembro de 2019 pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

Movimento contra

No sábado (26/6), líderes de 11 partidos decidiram que não vão apoiar a mudança do atual sistema de votação eleitoral. No encontro por videoconferência, os presidentes decidiram apoiar a votação por meio da urna eletrônica e rejeitar a possibilidade.

ACM Neto (DEM), Baleia Rossi (MDB), Bruno Araújo (PSDB), Ciro Nogueira (PP), Gilberto Kassab (PSD), Luciano Bivar (PSL), Luis Tibé (Avante), Marcos Pereira (Republicanos), Paulo Pereira da Silva (Solidariedade), Roberto Freire (Cidadania) e Valdemar Costa Neto (PL) lideram o movimento contra.

Mais lidas
Últimas notícias