No Brasil, presidente da Colômbia encontra Bolsonaro, Lira e Pacheco

Iván Duque tem agenda voltada para a reativação do comércio, do investimento estrangeiro e do turismo após a pandemia

atualizado 18/10/2021 10:31

iván duqueReprodução/Twitter

O presidente da Colômbia, Iván Duque, estará no Brasil nesta semana e tem reuniões previstas com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e com os presidentes do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

O chefe do Executivo colombiano chegou ao Brasil na noite de domingo (18/10) e cumpre agenda em São Paulo, onde se encontra com os executivos da empresa e vai conduzir o evento Diálogo Colômbia: Uma plataforma para o crescimento, organizado pela ProColombia.

Os dois presidentes terão uma reunião privada nesta terça-feira (19/10), no Palácio do Planalto, e posteriormente um encontro com seus delegados. Depois dele, serão assinados os acordos e instrumentos de cooperação.

O governo colombiano informou que serão corroborados sete acordos sobre cooperação policial, comércio, água e saneamento básico, agricultura e treinamento técnico, pesquisa e serviços aéreos.

Segundo o país vizinho, Duque vai tratar no Brasil da reativação do comércio, do investimento estrangeiro e do turismo após a pandemia de Covid-19. Entre os assuntos que serão abordados, estão a produção de vacinas contra o coronavírus, o combate aos efeitos das mudanças climáticas, a atenção aos migrantes, defesa da democracia na região e segurança das fronteiras, informou a presidência colombiana.

“Somos dois países irmãos, dois países que têm um relacionamento muito bom. Estamos falando de uma relação comercial que está crescendo cada vez mais ”, disse o presidente Duque.

Amazônia

A agenda de Duque na capital brasileira também inclui assuntos relativos à Amazônia. O presidente da Colômbia falará com a secretária-geral da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), Alexandra Moreira, para tratar da conservação e do desenvolvimento sustentável da Amazônia, por meio da compromissos firmados no âmbito do Pacto de Letícia.

Também serão tratadas das expectativas para a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26), que começa em menos de duas semanas, em Glasgow, na Escócia.

Na COP, o governo brasileiro pretende insistir na tentativa de cobrar dos países ricos recursos financeiros para perseguir metas de redução no desmatamento e de emissões de gases do efeito estufa mais ousadas do que as do Acordo de Paris, de 2015.

Mais lidas
Últimas notícias