MPF instaura inquérito para apurar conduta de Bolsonaro e Maia

Denúncia do PSol aponta "indevidas interferências" deles e do ministro da Saúde, Luiz Mandetta, na aprovação da reforma da Previdência

Marcos Corrêa/PR

atualizado 16/01/2020 21:40

O Ministério Público Federal (MPF) vai instaurar inquérito civil contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), por “indevidas interferências” no processo de votação da Emenda à Constituição 103/2019, que instituiu a reforma da Previdência.

A informação está publicada no diário do Ministério Público Federal desta quinta-feira (16/01/2020). A instalação se deu a pedido de deputados federais do PSol, incluindo David Miranda (RJ), Edmilson Rodrigues (PA), Fernanda Melchionna (RS) e Glauber Braga (RJ).

O documento é assinado pelo procurador da República no Distrito Federal (DF), Carlos Bruno Ferreira da Silva, para quem há a “necessidade de promover ampla apuração dos fatos noticiados”.

A informação foi inicialmente publicada pela revista Veja e confirmada pelo Metrópoles.

Últimas notícias