Mourão aponta “aloprada” de Wagner Rosário, mas critica membros da CPI

Vice-presidente opinou sobre imbróglio protagonizado pelo ministro da CGU, Wagner Rosário, e pela senadora Simone Tebet na CPI da Covid-19

atualizado 22/09/2021 10:46

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) saiu em defesa, na manhã desta quarta-feira (22/9), do ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário. Durante depoimento na terça-feira (21/9) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. Rosário chamou a senadora Simone Tebet (MDB-MS) de “descontrolada”. Mourão assentiu que o ministro deu uma “aloprada”.

“O cara, lá, não está submetido a um interrogatório. Aí, há uns que têm mais paciência para aguentar os desaforos que são ditos, e outros que não têm, né? Então, o Wagner aguentou até um determinado ponto. Em outros pontos, ele acabou dando uma aloprada, que eu acho perfeitamente normal. Uma pessoa tem que ter muito sangue frio para poder aguentar o deboche que muitas vezes é colocado”, explicou o general.

Irritada com as respostas de Rosário aos senadores, Tebet insinuou que o ministro é uma “espécie de engavetador”, ao que ele reagiu. “Com todo respeito à senhora, recomendo que releia tudo de novo, pois a senhora falou uma série de inverdades”.

Simone contra-atacou: “Eu sou senadora da República, mas vossa excelência não pode dizer que eu devo ler de novo esse processo da Covaxin. Ele está se comportando como menino mimado”. Wagner Rosário, então, respondeu: “A senhora está completamente descontrolada”. O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), saiu em defesa da colega: “Ser machista aqui não”, disse.

Mourão defendeu que o chefe da CGU é uma pessoa séria, mas que as perguntas feitas por alguns senadores são muito provocativas. “Alguns dos senadores ali, em vez de fazer uma pergunta objetiva, terminam até, muitas vezes, ofendendo a pessoa que está lá ou fazendo uma volta ao mundo. Todos são políticos e está todo mundo de olho. Então, é uma exposição que depois faz com que as pessoas se lembrem na hora de apertar o ‘numerozinho’ lá na votação”, sugeriu Mourão.

O general também afirmou que acerca do papel da CPI, “tudo tinha que ser investigado, já foi investigado” e cobrou a apresentação de um relatório.

“Acho que a finalidade da CPI era investigar as ações do governo na pandemia, ela se concentrou única, exclusivamente nessa problemática de Cloroquina, de vacina. Não olhou o que o governo fez em termos de apoio à economia e ações sociais. Então, eu acho que ela ficou perneta nisso”, finalizou o vice-presidente.

Últimas notícias