Moro: “Vamos resgatar o que ficou de fora do pacote anticrime”

Medidas defendidas pelo ministro da Justiça e Segurança Pública entram em vigor nesta quinta-feira

atualizado 23/01/2020 11:40

Sérgio MoroHugo Barreto/Metrópoles

Ao comemorar o pacote anticrime, que entra em vigor nesta quinta-feira (23/01/2020), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, lamentou o fato de que “nem tudo foi aprovado pelo Congresso” e prometeu, neste ano, resgatar “o que ficou de fora”.

Principal pauta de Moro no primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), o pacote anticrime foi aprovado no Congresso Nacional em dezembro de 2019 com a retirada de alguns itens, como o excludente de ilicitude.

“Dia a comemorar”, escreveu, ao destacar a participação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes no processo. “Nem tudo foi aprovado pelo Congresso, mas há avanços importantes”, completou.

Em sequência, o ministro da Justiça elencou uma série de pontos aprovados dentro do pacote e prometeu: “Em 2020, vamos resgatar o que ficou de fora”.

Entre as medidas apoiadas por Moro e rejeitadas pelo Congresso, estão: o chamado “plea bargain” — que seria a confissão de um crime em troca de uma pena menor — e a prisão após condenação em segunda instância.

Veja a sequência de tuítes:

Últimas notícias