Moro nega promessa de vaga no STF para entrar no governo

Segundo ele, a única condição imposta foi o pagamento para uma pensão para a família dele em caso de morte e de carta branca para indicações

atualizado 24/04/2020 12:10

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro negou que tenha aceitado entrar no governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com a promessa de indicação a uma vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Moro afirmou nesta sexta-feira (24/04) que “não teria sentido” aceitar um cargo visando outro.

Segundo ele, a única condição imposta foi o pagamento para uma pensão para a família, dele em caso de morte, e de carta branca para indicações na pasta que chefiaria.

“O que foi conversado com o presidente foi que nós teríamos um compromisso no combate à corrupção”, destacou, em entrevista coletiva.

Segundo Moro, ele recebeu carta branca para nomear “todos os assessores desses órgãos, como da Polícia Federal”.

O pronunciamento surge logo após a exoneração do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, a pedido do presidente Bolsonaro.

Últimas notícias