Moro ataca Bolsonaro por atraso na vacinação: “Tem presidente em Brasília”?

O presidente afirmou, também nesta segunda-feira, que o processo de registro de vacinas contra a Covid-19 não pode ser feito às pressas

atualizado 28/12/2020 17:48

Ex-ministro Sergio MoroRafaela Felicciano/Metrópoles

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro usou o Twitter, nesta segunda-feira (28/12), para questionar a demora na vacinação contra a Covid-19 no Brasil e cobrar um posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), seu ex-aliado e agora desafeto.

Veja:

Moro não é o único a questionar a posição do presidente da República. Também nesta segunda-feira, o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, disse que a entidade deve discutir a possibilidade de pedir o impeachment de Bolsonaro, devido à demora do governo federal em em começar a vacinar a população contra a Covid-19.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, ele afirmou que essa discussão deverá ser feita pelo Conselho Federal da entidade tão logo haja o controle da pandemia. Segundo Santa Cruz, a entidade quer que o governo federal inicie uma campanha nacional de vacinação imediatamente.

Sem pressa

Já Bolsonaro afirmou, também nesta segunda-feira, que o processo de registro de vacinas contra a Covid-19 não pode ser feito às pressas, devido aos possíveis efeitos colaterais do imunizante. Tanto a autorização para uso emergencial quanto o registro regular de vacinas dependem do aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Eu falei que não estava preocupado com pressão, falei mesmo. Porque nós temos que ter responsabilidade. Certas coisas não podem ser correndo, você está mexendo com a vida do próximo”, disse Bolsonaro a apoiadores reunidos no Palácio da Alvorada.

“Agora, se eu vou na Anvisa, que é um órgão de Estado, [e digo] ‘Corre aí’, ‘Não sei o que lá’, eu estou interferindo. Até hoje não provaram a minha interferência na PF”, pontuou.

0

Últimas notícias