Ministros reagem duramente contra ataques ao STF. Veja

Grupo bolsonaristas se reuniu na Praça dos Três Poderes na noite de sábado e lançou fogos de artifício contra sede do Supremo

atualizado 14/06/2020 21:06

Rafaela Felicciano/Metrópoles

O ataque com fogos de artifício ao prédio do Supremo Tribuna Federal (STF), na Praça dos Três Poderes, por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro causou reações duras de ministros da Corte neste domingo (14/06). O presidente do STF, Dias Toffoli, em nota oficial, avisou que a instituição “não vai se sujeitar a qualquer tipo de ameaça”.

Além disso, Toffoli acionou órgãos federais e distritais para investigarem os ataques. Em ofício enviado neste domingo ao secretário de Segurança do Distrito Federal, Anderson Torres, ao diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza e ao procurador-geral da República, Augusto Aras, Toffoli pediu investigação contra Renan da Silva Sena, uma das pessoas que participou do ataque.

Toffoli também enviou ao colega de STF Alexandre de Moraes o mesmo ofício pedido que Renan da Silva Sena seja investigado no inquérito que trata das fake news.

Neste domingo, ele foi preso por ataques feitos ao governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

Nas redes sociais, outros ministros também se manifestaram. O ministro Luís Roberto Barroso classificou os manifestantes como “pré-iluministas” e ressaltou que não são muitos os integrantes do grupo. Ele, porém, disse que os ataques são graves e que é preciso impor limites a esses grupos. “Há diferença entre militância e bandidagem”, enfatizou o ministro.

Já o ministro Alexandre de Moraes, um dos principais alvos dos manifestantes por ser relator do processo que apura o uso de notícias falsas por parte do governo, inclusive com ataques às instituições, disse que “o STF jamais se curvará ante agressões covardes de verdadeiras organizações criminosas financiadas por grupos antidemocráticos que desrespeitam a Constituição Federal, a democracia e o Estado de direito. A lei será rigorosamente aplicada e a Justiça prevalecerá”, disse o ministro.


Também pelas redes sociais, o ministro Gilmar Mendes lamentou o vídeo com as imagens do ataque. “O ódio e as ameaças do vídeo são lamentáveis. A incitação à violência desafia os limites da liberdade de expressão”.

Os ataques ocorreram na noite desse sábado (13/06). Um grupo de manifestantes bolsonaristas se reuniu na Praça dos Três Poderes e lançou fogos de artifício no prédio do STF. O vídeo ganhou as redes sociais, bem como as frases ditas pelo autor das imagens, em tom de ameaça, aos ministros do Supremo.

Veja vídeo dos fogos de artifício e ouça as ameaças:

0

Últimas notícias