Maia alfineta Guedes: “Perder parte do ministério para Onyx é humilhação”

Ex-presidente da Câmara dos Deputados e ministro da Economia são desafetos e vivem trocando farpas publicamente

atualizado 21/07/2021 15:46

Rodrigo MaiaRafaela Felicciano/Metrópoles

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (sem partido-RJ) alfinetou, nesta quarta-feira (21/7), um de seus maiores desafetos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, que perderá força na reforma ministerial prometida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Perder parte do ministério [da Economia] para o Onyx [Lorenzoni (DEM)] é uma humilhação”, escreveu o parlamentar no Twitter.

Guedes, que foi apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como “superministro”, vem perdendo espaço no governo e, agora, terá o seu “superministério” desmembrado para reacomodar aliados. O atual ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorezoni, deverá ocupar o recriado Ministério do Trabalho. Guedes já admitiu uma “reorganização interna” da pasta.

A relação de Maia e Guedes, que são alinhados economicamente, azedou desde meados de 2019, após o parlamentar ficar com os louros da aprovação da reforma previdenciária. Os dois, então, passaram a trocar farpas publicamente.

Pouco afeito à articulação política, o ministro proibiu a equipe econômica de se reunir com o deputado quando ele era presidente da Câmara. Maia passou a minar a pauta de Guedes na Casa. Aliados de ambos articularam um armistício entre eles no fim do ano passado para destravar pautas do interesse do governo, mas o esforço não surtiu o efeito desejado.

Para além da relação atribulada com Guedes, Maia também não nutre boa relação com o presidente Bolsonaro. Eles também trocaram críticas publicamente ao longo da gestão Maia na Câmara.

Últimas notícias