Bolsonaro deve recriar Ministério do Trabalho para acomodar Onyx

Recriação da pasta, em um novo rearranjo ministerial, já é dada como certa no Palácio do Planalto

atualizado 21/07/2021 11:22

Igo Estrela/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve recriar o Ministério do Trabalho, segundo fontes. A recriação, que seria um desmembramento do Ministério da Economia, já é dada como certa no Palácio do Planalto e visa acomodar o ministro Onyx Lorenzoni, atualmente na Secretaria-Geral da Presidência.

Bolsonaro confirmou, na manhã desta quarta-feira (21/7), que está trabalhando em uma “pequena mudança ministerial” para os próximos dias. O mandatário do país não citou nomes, mas o Metrópoles apurou que são estudadas alterações na Casa Civil, chefiada por Luiz Eduardo Ramos, e na Secretaria-Geral da Presidência, comandada por Onyx Lorenzoni.

“Estamos trabalhando inclusive uma pequena mudança ministerial, que deve ocorrer na segunda-feira, para ser mais preciso, para a gente continuar administrando o Brasil”, disse Bolsonaro em entrevista à Jovem Pan Itapetininga.

A Casa Civil poderia ir para as mãos de um senador governista: o presidente nacional do PP, Ciro Nogueira (PI). O partido, ao qual Bolsonaro já foi filiado, é um dos principais do Centrão, grupo que dá sustentação ao governo no Congresso.

Além de atender ao PP, a indicação de Ciro Nogueira também busca melhorar a relação com o Senado, que não possui nenhum representante na Esplanada dos Ministérios. As mudanças ocorrem no momento em que o governo se vê acuado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, que tem apurado denúncias de irregularidades na negociação de vacinas contra a Covid-19.

Nesse rearranjo, Ramos passaria para a Secretaria-Geral e Onyx Lorenzoni poderia assumir uma nova pasta, a do Trabalho, em uma divisão do Ministério da Economia. A pasta hoje comandada pelo ministro Paulo Guedes fundiu uma série de ministérios, como Trabalho, a Previdência, o Planejamento, a Fazenda e o Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Onyx Lorenzoni (DEM-RS) é um dos mais antigos aliados do presidente Bolsonaro. Os dois foram colegas na Câmara dos Deputados por vários anos. De janeiro de 2019 a fevereiro de 2020, Onyx assumiu a Casa Civil. Depois, em uma reforma ministerial para acomodar militares, ele foi remanejado para o Ministério da Cidadania, no lugar de Osmar Terra (MDB-RS), que deixou o governo.

Em fevereiro deste ano, assumiu a Secretaria-Geral da Presidência e voltou a despachar do Palácio do Planalto. A troca foi articulada após Bolsonaro entregar a pasta da Cidadania ao Republicanos, para o deputado João Roma (BA).

0

Últimas notícias