Laranjas: “Sempre agi dentro da legislação”, diz ministro do Turismo

Marcelo Álvaro Antônio participou de uma audiência no Senado para apresentar as propostas da pasta e se defendeu das acusações

Reprodução / Facebook

atualizado 11/04/2019 14:53

Em audiência no Senado nessa quarta-feira (10/4), o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, negou as acusações contra ele e afirmou que vai provar que não tem envolvimento com o esquema de candidaturas laranjas no PSL de Minas Gerais nas últimas eleições. O chefe da pasta esteve na Casa para apresentar as propostas da gestão nos próximos quatro anos.

Questionado pela senadora Eliziane Gama (PPS-MA), Álvaro Antônio se defendeu. “Sempre agi dentro da legislação eleitoral e nunca fiz algum procedimento inadequado para macular a minha imagem ou a imagem do meu partido. Esse inquérito vai ser a melhor oportunidade de provar que não tenho nenhum problema e nenhuma atitude inadequada à frente da legenda em Minas.”

 

Em fevereiro, o jornal Folha de S.Paulo revelou um esquema de candidaturas laranjas no PSL em Minas Gerais. Nele, mulheres eram convidadas a se candidatar a uma vaga no pleito do ano passado e, em troca, deveriam devolver parte do dinheiro do Fundo Eleitoral ao partido, cuja direção regional estava sob o comando do ministro.

Até o momento, ao menos quatro mulheres prestaram depoimento à Polícia Federal e indicaram ter negociado a devolução do dinheiro com o próprio ministro ou com assessores dele.

No último dia 5, o jornal mostrou que a PF reconhece a presença de elementos que caracterizam a participação de Álvaro Antônio no esquema de candidaturas laranjas. No entanto, a corporação disse que vai aprofundar as investigações. O chefe da pasta do Turismo é suspeito de crime de falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

 

 

 

Últimas notícias