Em mensagem, assessor de ministro do Turismo cobrou verba eleitoral

Ela deveria fazer uma transferência de R$ 30 mil para a conta de uma gráfica. Marcelo Álvaro Antônio negou as acusações

atualizado 20/02/2019 15:12

Valter Campanato/Agência Brasil

Mensagens trocadas entre Haissander de Paula, assessor parlamentar de Marcelo Álvaro Antônio (PSL), atual ministro do Turismo de Jair Bolsonaro (PSL), e Cleuzenir Barbosa, supostamente usada como candidata laranja a deputada estadual pelo PSL em Minas Gerais, revelam que Haissander cobrou a devolução de verba pública da campanha da aposentada para destiná-la a uma empresa ligada a outro assessor político. A informação é do jornal Folha de S.Paulo.

Cleuzenir entregou o conteúdo das mensagens ao Ministério Público. Na conversa, registrada no aplicativo WhatsApp, o assessor de Álvaro Antônio — à época deputado federal — pediu que a então candidata fizesse uma transferência de R$ 30 mil para a conta de uma gráfica.

No depoimento prestado ao MP, a aposentada afirmou que a gráfica pertencia a Roberto Soares, irmão de um ex-assessor do ministro do Turismo. A quantia “devolvida” seria metade do valor total recebido por Cleuzenir (R$ 60 mil).

“Preciso que você transfira 30 mil reais pra conta da gráfica. O resto eu vou pagar do meu bolso”, diz uma das mensagens do assessor. “Nosso Deus sabe de todas as coisas, preciso que você transfira a metade do valor pra conta da gráfica. Estou indo pagar o restante do meu bolso”, reforça. Haissander foi assessor do gabinete parlamentar de Álvaro Antônio de dezembro de 2017 ao início deste ano.

O diálogo confronta a versão dada até agora pelo ministro e pelos assessores à época. Álvaro Antônio afirma que, assim que tomou conhecimento das acusações da candidata, mandou apurar. “A denunciante foi chamada a prestar esclarecimentos em diversas ocasiões e nunca apresentou provas ou indícios que atestassem a veracidade das acusações”.

Últimas notícias