Hang diz que universidades públicas formam zumbis e reitor rebate

Empresário afirmou, durante evento de inauguração de uma loja Havan em Santa Maria (RS), que os alunos voltam "comunistas" das instituições

atualizado 12/11/2019 12:14

Luciano Hang Redes Sociais/Reprodução

O dono da rede de lojas Havan, Luciano Hang, teceu uma série de críticas às universidades federais do país, o que tem gerado revolta nos acadêmicos. O empresário disse que quanto mais as pessoas estudam nessas instituições, mais se tornam idiotas. “[As universidades públicas] formam zumbis”. 

“Eu, Luciano, não colocaria meu filho em uma universidade pública por que você educa seu filho e ele volta um comunista, não quer trabalhar e quer atrapalhar quem faz”, disse, arrancando aplausos da plateia. O empresário é adepto do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). 

Na ocasião, Hang participava da inauguração da loja 134 da Havan, em Santa Maria (RS), no último sábado (09/11/2019). O empresário falava aos funcionários da nova loja que, segundo ele, vai gerar 200 empregos diretos.

“As pessoas que vão às universidades federais são doutrinadas para serem zumbis, para trabalharem dentro do governo e atrapalharem a iniciativa privada, para ser contra o empreendedor, para ser contra quem gera riqueza nesse país”, discursou. 

Durante a fala, o empresário não nominou especificamente quais universidades públicas “formam zumbis”. Contudo rasgou elogios à faculdade Antonio Meneghetti, em Restinga Sêca (RS), município vizinho de Santa Maria.

Na cidade em que o empresário estava, existe a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). A faculdade está entre as 15 melhores do país. O Metrópoles procurou a assessoria de Luciano Hang, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem.

Respostas
O reitor da UFSM, Paulo Afonso Burmann, afirmou que “desejos, ódios, intolerância e agressividade agora ganham respaldo de lideranças que não estão medindo as consequências das suas atitudes beligerantes e de confronto”. 

“Estão surfando numa onda de poder pelo poder, que vai quebrar, e estão levando uma parcela de pessoas a uma zona de risco”, reiterou. Paulo Afonso reafirmou que a faculdade está entre as 15 melhores do país e entre as 50 da América Latina.

“Nossa Agittec e suas duas incubadoras geram mais de 150 empregos diretos em suas 24 empresas. O orçamento executado pela UFSM é auditado e controlado por TCU e CGU e todas as ações da UFSM são monitoradas pelo ministério público”, disse. 

“Formamos quase 180 mil profissionais em todas as áreas do conhecimento, que transformaram e estão mudando suas comunidades, empresas, outras universidades, governos, etc”, completou.

Não são zumbis, mas heróis
O diretório acadêmico do Centro de Tecnologia da UFSM também divulgou uma nota na qual repudia as declarações de Luciano Hang. A íntegra do texto foi postada nas redes sociais, um dia após as críticas do dono da Havan. 

“[…] A UFSM é considerada a 21º melhor universidade do país. As palavras proferidas demonstram ignorância e falta de apreço pelas principais instituições responsáveis pela formação de jovens profissionais de excelência no país”, informou.

“Os acadêmicos deste país não são zumbis, na realidade são heróis. Pois convivem com a desvalorização atual da Educação, o que sucateia cada vez mais o ensino público”, complementou a nota do diretório acadêmico. “Não há ódio à iniciativa privada, pelo contrário, a maioria dos egressos da universidade, sobretudo nas engenharias, prestam serviços profissionais em empresas privadas com a formação realizada no ensino público, considerado apesar de todos os desafios, o melhor do país”, finalizou.

Não foi a primeira vez
Em agosto, o empresário foi às redes sociais para comparar o orçamento do município de Santa Maria com o da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). 

Além disso, na postagem, Hang afirmou que há na UFSM gasto com “professores de esquerda, que doutrinam os estudantes com ideologias marxistas e gramschistas”, referindo-se aos pensadores Karl Marx e Antonio Gramsci. 

Mais lidas
Últimas notícias