Governo amplia eventos no Planalto em meio à alta de casos de Covid-19

Apenas no 3º trimestre da pandemia, número de cerimônias quase dobrou. Eventos tinham aglomerações e parte dos convidados não usava máscara

atualizado 21/12/2020 20:03

Anderson Riedel/PR

Em meio ao avanço da Covid-19 no Brasil, onde o país vive “o início de uma segunda onda” de casos e óbitos em razão da doença, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ampliou o número de eventos públicos no Palácio do Planalto. 

De acordo com um levantamento realizado pelo Metrópoles, com base na agenda presidencial, as cerimônias palacianas quase dobraram se comparados o primeiro e o terceiro trimestre da pandemia.

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou a pandemia do novo coronavírus, em 11 de março, até 18 de dezembro de 2020 – data em que Bolsonaro encerrou os compromissos oficiais – foram realizados 44 eventos no Planalto. Desses, 10 tinham relação com a pandemia (veja quais mais abaixo)

Na maioria das cerimônias, nem o presidente nem parte dos convidados fizeram o uso da máscara, como recomendam as autoridades sanitárias do Brasil e do mundo. 

No primeiro trimestre da pandemia, Bolsonaro realizou 11 eventos públicos no Planalto, entre eles a posse do então segundo ministro da Saúde da administração Bolsonaro, Nelson Teich, e a prorrogação do auxílio emergencial.

Já no segundo trimestre, entre julho e setembro, foram registradas 14 cerimônias. Entre elas:

  • assinatura de medida provisória para viabilizar a destinação de R$ 1,9 bilhão para produção da vacina de Oxford contra a Covid-19;
  • evento “Brasil vencendo a Covid-19”. Na época, o Brasil registrava mais de 3,6 milhões de casos, com 114 mil mortes;
  • assinatura de medida provisória que facilitam o acesso ao crédito em meio à pandemia; e
  • posse do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Por fim, no terceiro trimestre da pandemia, foram realizados 19 eventos, quase o dobro em relação ao primeiro trimestre. Entre eles:

  • lançamento do programa “Genomas Brasil”, que tem o objetivo de sequenciar genes de portadores de doenças como a Covid-19;
  • cerimônia para anunciar que um vermífugo tinha eficácia contra a Covid-19. Na cerimônia, o governo não apresentou dados completos e usou um gráfico idêntico ao de um banco de imagens;
  • cerimônia para incentivar a retomada do setor de Turismo em meio à pandemia; e
  • lançamento do plano nacional de operacionalização da vacinação contra a Covid-19.

Questionados sobre o aumento das cerimônias, nas quais ocorrem aglomerações, o distanciamento social não é cumprido e parte dos convidados não usam máscara, o Ministério da Saúde e o Palácio do Planalto não se manifestaram até a publicação desta reportagem. O espaço está aberto para manifestações. 

Comparação com 2019

Apesar do aumento registrado no terceiro trimestre deste ano, o número de cerimônias realizadas durante a pandemia foi menor em relação ao mesmo período de 2019. 

Em 2020, de março a dezembro, foram realizados 49 eventos no Palácio do Planalto. No mesmo período do ano passado, o número foi 44% maior, com 70 solenidades. 

0

 

Últimas notícias