Governadores se articulam para adotar ações restritivas conjuntamente

Fórum Nacional de Governadores quer anunciar o Pacto Nacional Para Conter a Covid-19, com medidas de combate à Covid-19 durante uma semana

atualizado 07/03/2021 20:41

Michael Melo/Metrópoles

No momento mais agudo da pandemia da Covid-19 no Brasil, com o 12ª dia consecutivo de recorde no número de mortes, os governadores prometem não mais esperar por algum apoio do governo federal. Neste domingo (7/3), o governador do Piauí, Wellington Dias (PT, foto em destaque), presidente do Fórum Nacional de Governadores, propôs aos colegas um pacto nacional para conter o coronavírus, com a adoção de medidas restritivas e preventivas até o próximo dia 14.

Até o momento, 22 governadores anunciaram que vão se juntar ao Pacto Nacional Para Conter a Covid-19/Medidas Preventivas.

São dos seguintes estados: Piauí, Amapá, Paraíba, Bahia, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Rio Grnde do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, São Paulo, Pará, Alagoas, Minas Gerais, Ceará, Sergipe, Goiás, Maranhão, Amazonas, Paraná, Espírito Santo e Rio de Janeiro, além do Distrito Federal.

Segundo a assessoria de Welington Dias informou ao Metrópoles, as conversações continuam com os demais governadores.

Com o fechamento do grupo, e tão logo terminem as articulações que ainda envolverão a Câmara e o Senado, deve ser apresentado um documento com os detalhes das medidas restritivas e preventivas que deverão ser aplicadas conjuntamente pelos estados durante uma semana. As partir daí, os estados pactuantes poderão estabelecer seus decretos para a implementação das medidas.

Os objetivos principais do pacto são: conscientizar a população, reduzir o número de mortes e de contaminação e também a ocupação de leitos de UTI em todo o país.

Últimas notícias