Em tom de despedida, Ernesto Araújo alfineta senadora Kátia Abreu

Ministro das Relações Exteriores disse que assunto preferencial da senadora em encontro recente não eram vacinas, mas negociações sobre o 5G

atualizado 28/03/2021 16:33

Raylson Ribeiro/MRE

Em meio à fritura política, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, tirou a tarde desta domingo (28/3) para desabafos no Twitter.

Em uma primeira publicação, agradeceu a todas as pessoas que manifestam apoio a ele e ao trabalho quem vem desempenhado na pasta.

“Agradeço a todos os que têm manifestado apoio a mim e ao meu trabalho”, diz Araújo citando uma estrofe do Hino da Independência.

Em seguida, partiu para o ataque, afirmando que, em encontro recente com a senadora Kátia Abreu (PP-TO), a parlamentar teria preferido falar sobre as negociações em torno do 5G do que a respeito das dificuldades diplomáticas enfrentadas com a China e a Índia para a importação dos insumos necessários à produção das vacinas contra Covid-19 no Brasil.

Segundo o diplomata, a parlamentar teria dado a entender que ele seria o “rei do Senado” ao fazer “um gesto em relação ao 5G”.

O Metrópoles procurou a senadora Kátia Abreu para que ela comentasse a declaração, mas foi informado por sua assessoria que ela está em Tocantins.

Na quarta-feira (24/3), durante uma sessão remota do Senado Federal, os parlamentares pressionaram Araújo e cobraram sua saída imediata do cargo. Na avaliação dos senadores, o chanceler falhou ao lidar com as questões internacionais relativas ao enfrentamento da pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Com a imagem extremamente desgastada na composição do governo federal, o chefe do Itamaraty ainda resiste à pressão feita para que renuncie ao cargo. Já existem, inclusive, nomes cotados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para a substituição. A busca seria por um substituto com perfil menos ideológico e que tenha melhor receptividade no meio político.

Pressão interna

Em carta aberta publicada no sábado (27/3), um grupo de mais de 300 diplomatas pediu a saída do governo do atual ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e ainda acusou a atual política externa do Itamaraty de causar “graves prejuízos para as relações internacionais e a imagem do Brasil”.

Últimas notícias