Em meio à crise ambiental, ministro Ramos sai em defesa de Salles

Às vésperas da Cúpula do Clima, aumenta a pressão para que o titular do Meio Ambiente, Ricardo Salles, deixe o cargo

atualizado 21/04/2021 16:36

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

Com o governo sob forte pressão sobre a política ambiental, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é visto como uma ameaça aos parâmetros de preservação e conservação de recursos naturais.

Às vésperas da Cúpula do Clima, evento que reunirá 40 líderes mundiais entre 22 e 23 de abril, a pressão para que o ministro deixe o cargo aumentou.

Nesta quarta-feira (21/4), o ministro-chefe da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos, saiu em defesa de Salles. No Twitter, o militar publicou a hastag #FicaSalles. O movimento chegou a ser um dos assuntos mais comentados nas redes sociais.

O próprio Salles agradeceu o apoio da campanha. “Valeu, pessoal, pelo #FicaSalles”, escreveu (veja as mensagens no fim da reportagem).

Mesmo envolvido em diversas polêmicas, Salles é admirado pelo chefe do Palácio do Planalto e pela ala ideológica do governo.

Críticas e investigação

Artistas, governadores e ex-ministros enviaram cartas ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que convocou a reunião da cúpula. O mandatário norte-americano criticou a política ambiental do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Na terça-feira (20/4), servidores do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) divulgaram carta na qual denunciam que estão com suas atividades de fiscalização totalmente paradas, desde que Salles mudou o rito para a aplicação de multas ambientais.

O ministro foi alvo de notícia-crime da Polícia Federal do Amazonas e passou a ser investigado no Supremo Tribunal Federal (STF) por supostamente atrapalhar apuração sobre madeireiras ilegais.

Veja as mensagens publicadas pelos ministros Ramos e Salles:

Últimas notícias